Monday, October 01, 2012

Vigàta



Vigàta é uma pequena cidade na provícia de Montelusa, na região da Sicília, sul da Itália. À beira do mar, o ar é quente e convidativo; a tratorria local oferece peixes frescos fritos crocantes, coisa de lamber os dedos. O dialeto falado em Vigàta é exclusivo mas intuitivo, se você fala bem o italiano. Pequena mas movimentada, Vigàta tem muita história para contar, de crimes, de herois e anti herois e de casos e mais casos. Nos tempos idos aconteceram coisas que só em Vigàta poderiam acontecer, com os mais diversos personagens; atualmente quem cuida dos acontecimentos em Vigàta é um comissário de polícia que tornou-se muito famoso e que, por conta da fama, todo mundo sabe o que se passa pela cabeça dele.

Depois de conhecer e se entusiasmar por Vigáta, pela comida e pela gente da Província de Montelusa, depois de rir muito com as estórias contadas e de ser apresentado ao comissário Montalbano (de Vigàta), descobre-se que tudo – província, Vigàta, dialeto, comissário Montalbano, peixes crocantes e todos os casos contados – só existem na fantasia divertida do mestre Andrea Camilleri. Montelusa, não. Montelusa Camilleri usurpou de Pirandello :”Ele não pode se lamentar mesmo.”

Camilleri tem o sorriso fácil, a voz rouca e um cigarro sempre entre os dedos. Dramaturgo, diretor, autor, roteirista e bon vivant de longa carreira, publicou o primeiro livro em 1978, aos 53 anos. Tornou-se um escritor de sucesso e reverenciado, apesar de algumas críticas pelo dialeto usado em quase todos os livros (na realidade, trata-se do dialeto siciliano com o inserimento de algumas expressões usadas pelos camponeses e pela gente pobre, que Camilleri usa para personificar seus romances e contos). Ritmo, tramas e domínio do imaginário popular garantem boas risadas.

Se você estava protelando para aprender italiano, poder ler Andrea Camilleri no original é a desculpa que faltava. Se você não domina o italiano e nem pensa em aprender, espero que o tradutor dos livros que você irá adquirir tenha piedade do mestre.
.

7 comments:

myra said...

eu li todos os livros de Camilleri e me diverti muito!!!
um abraço

Inaie said...

fiquei com vontade de conhecer a cidade, me esbaldar no peixe frito e ler o dito livro em Italiano...mas pensando bem, vou ver se acho a traduçao mesmo...aprender Italiano não está na minha listinha de prioridades.

Sissym said...

Allan.... fiquei curiosa em ver uma imagem da Cidade. Ok... vc deixou com agua na boca, vou fuçar o Google!

Nunca li Camilleri. Com certeza, irei gostar. Vou passear até uma livraria e ver o que encontro.

BEIJOS

Ágatha Alves said...

Oi Allan, sabe que eu estava louca para ler um livro em italiano, para aprender mais e desenferrujar pq faz tanto tempo que não pratico o pouco que aprendi em 1 ano e meio que hoje em dia estou uma negação, mas algumas coisas ainda entendo rs.
Agora com essa indicação, vou procurar a versão em italiano mesmo, amo esse idioma e pelo o que vc escreveu, os contos de Camillere devem ser muito bons =D

Beijão

Lu Guedes said...

Ai Allan e você ainda me diz isso assim no final "que o tradutor dos livros que você irá adquirir tenha piedade do mestre". Eu odeio tradutores, eles me deixam louca - por isso prefiro dedicar horas inteiras aprendendo outros idiomas, evita-se assim o assassinato. rs

A propósito, há tempos estou querendo enviar um livro meu para você, envie-me o endereço para que eu possa fazê-lo. Já estive por duas ocasiões em Gênova e nada de combinar de encontrá-lo para entregar o livro, então irá via correios, lentamente, se assim o desejar. aff

bacio

Georgia Aegerter said...

Meu caro amigo, mais uma lingua nesta minha cabecinha, nao vai dá viu.

Mas que deve ser um bom livro a isso deve ser.

Bom fim de semana

Sissym said...

Allan, eu vim apenas desejar um otimo final de semana.

Bjs