Monday, February 10, 2020

Inverno 2019/2020


As estações saíram de moda, a onda agora é aquecer o mundo.
 


Nesses últimos dias a temperatura vem se mantendo alta. Bobbio, uma cidade aqui da província de Piacenza, às margens do rio Trebbia e onde costumamos ir para nos refrescar durante o verão, chegou a 25 graus. No mesmo dia a cidade de Turim atingiu a marca de 27 graus. Positivos. Graus centígrados positivos. Talvez fosse frio demais, caso a temperatura medida fosse negativa, mas não seria desesperador. Neste período de inverno, no entanto, temperaturas assim altas estão muito acima da média. O Caruso, pássaro preto que mora nos telhados, já começou a cantar. Meio tímido, consultando o calendário, assustado com os dias curtos, mas canta.

Se uma pessoa que planejasse uma viagem à Itália nesse período me perguntasse que roupas deveria trazer, iria sugerir de vir muito bem agasalhada, com roupa de Neoprene, casaco de neve e roupa d banho por baixo. O clima enlouqueceu. Ou quer nos enlouquecer.

Acabaram-se as meias estações e o frio intenso, sobraram as flores que desabrocham antes por causa dessa primavera antecipada. Num belo dia vem uma onda de frio polar e mata tudo, provocando graves danos à agricultura, rouquidão no Caruso e arruinando de vez o humor geral da nação.

Semana passada tivemos dois dias de ventania. Sabe aquela ventania que derruba placas, bicicletas, roupas do varal, faz dançar caminhões nas estradas e que rezamos pra que venha durante o verão (que, é claro, nunca vem no verão)? As ruas ficaram cheias de folhas, galhos, papel e objetos pequenos. Deu um trabalhão pra limpar, mas a temperatura deu de ombros e contribuiu para transformar esse no inverno mais quente desde a invenção das quatro estações. Tem que reinventar isso aí, gente.

A previsão para essa semana é de nova onda de calor, depois que o frio visitou o Sul e parte do Centro-sul. Com o dia de San Valentino se aproximando, estão chamando esse clima primaveril/quase verão de bacio di primavera, beijo de primavera, que servirá para aquecer os corações apaixonados no dia dos namorados italiano, nesse 14 de fevereiro. Talvez fosse melhor brigarmos todos com o clima. Quem sabe se, ao fazermos as pazes, ele volte ao normal.

Última hora: o jornal acaba de informar que a tempestade que assola o continente europeu se aproxima da Itália, prevendo chuva forte, neve e vento forte. O homem do tempo usava um chapéu russo, casaco pesado, calça de Neoprene e pés de pato. Ele sim é que está na moda.

Tuesday, December 31, 2019

Querido diário

Sim, eu sei. Amanhã é só mais um outro dia, nada muda. Os dias nascem e duram apenas vinte e quatro horas. Pouco tempo para saciar todas as nossas curiosidades, aprendemos uma coisa de cada vez. Mas no final o dia sempre acaba, a noite nos faz dormir e acordar para um novo dia que promete ser igual a tantos outros, mesmo acreditando que serão diferentes, mesmo que sejam diferentes e nos ensinem novas lições, esclareçam enigmas e tragam novos conhecimentos. Os dias são iguais, nada muda e duram sempre vinte e quatro horas. Os dias são iguais.

Acontece que nós, humanos, gostamos de inventar marcos temporais, símbolos abstratos que nos ajudem a crer nas mudanças que planejamos. Somos assim, precisamos de futuro. E o futuro é o dia que ainda não vivemos, experiências novas, conhecer pessoas e lugares a nós estranhos. Precisamos de esperança. E um dia é pouco tempo, não cicatriza ferida, nem permite avaliar se estamos no caminho certo. Um ano são vários dias, podemos procrastinar acreditando que ainda temos tempo, seguir em frente confiantes, deixando que os acontecimentos engulam nossas vidas e empurrem para o lado os nossos sonhos.

Então vem um novo ano e a confiança se renova. E, de repente, transformamos nossos sonhos em planos e lutamos para concretizá-los. Outros anos passarão antes de chegarmos onde queríamos. Ou perto. Só então nos damos conta de que é o movimento que produz a mudança. Jogamos fora a poltrona e nos preparamos para novas empresas, novas experiências e objetivos. E quando o ano acaba, e fazemos a conta do que realizamos, e entendemos que fazer é melhor que planejar, aí um novo ano chega, não importa o dia, não importa o tamanho do sonho, só importa festejar.

E a esperança já não será uma espera, mas uma possibilidade.

.