Wednesday, July 21, 2021

Cronologia estranha a ser lembrada

 



Cinco da manhã e ele quer passear. Vinte graus e uma brisa fresquinha. Focinheira presa à cintura, saquinhos higiênicos, garrafinha d’agua para lavar o pipi dos muros, paredes, postes e pilastras, coleira e peitoral (que com ele é melhor não arriscar).

O número de novos casos de Covid volta a crescer. Os de internações e vítimas, caem. O tal comitê prevê para agosto até cem mil novos casos por dia, mas com baixo índice de ocupação hospitalar. Ou seja, a vacinação está dando resultado. Ultrapassamos 51% da população acima de 12 anos com o ciclo completo.

Ele corre no jardim como se o gramado fosse infinito. Busca odores e vestígios de outros cães, gatos, pássaros, esquilos e o que mais passou por ali. Para no meio de uma corrida, como um carro dando cavalo de pau, e vai examinar minuciosamente um cheiro que só ele sente. Às vezes mija em cima, às vezes volta a correr.

Os números da Inglaterra assustam e o Boris - o espantalho na ventania - resolveu peitar a ciência decretando o fim de todas as restrições, esquecendo que na primeira vez não deu certo. A França decidiu que só se entra em bar, restaurante e transporte público, entre outros, quem tiver o green pass, que é o documento comprovando a conclusão do ciclo vacinal. A Itália avalia medida semelhante, depois que o agendamento da vacina teve mais de dois milhões de pedidos, num único dia, na terra do Macron. Já pensou, ter que apresentar o atestado cada vez que for ao bar tomar um café?

Dono de toda a curiosidade do mundo, vai cheirando o asfalto que as maquinas arrancaram anteontem (porque a época de obras é agora, no verão, quando a cidade está mais vazia e não tem a neve para atrapalhar). As enormes maquinas que dormem enquanto ele batiza-lhes os pneus. Vamos ao outro jardim para ele lutar com os irrigadores. Mordeu toda água possível e sucumbiu. Eles são insistentes e são muitos, os irrigadores. Melhor caçar ouriços em outro lugar.

Ontem, 20 de julho desse 2021 nefasto, foram registrados 3.558 novos casos e 10 vítimas. 11 novos pacientes foram internados e mais de 70% de quem precisou de internação eram pessoas que ainda não tinham recebido nem mesmo a primeira dose. Daqui em diante o comitê cientifico irá considerar principalmente o número de internações para avaliar que medidas tomar (como o retorno das restrições, por exemplo). Isso porque a enorme maioria dos infectados não necessita de cura médica. São pessoas vacinadas, assintomáticas, que permanecem em quarentena em casa até que um novo exame dê êxito negativo. Vacina, gente. Vacina.

Faz três minutos que ele está tentando desvendar o segredo do Universo contido na ponta daquela folha de grama. Mas a resposta deve estar em outro lugar. Na dúvida, ele come a grama. Por um momento, fica ali parado, focinho pra cima detectando algum cachorro a mil quilômetros daqui. Faz mais um pipi, abana a cauda e avisa que é hora de voltar pra casa. Fome, obrigado.

No comments: