Sunday, August 06, 2006

Gnocchi

…E você achando que no Brasil tudo acaba em pizza.

Aqui os escândalos financeiros rastejam por anos nos porões da justiça; diante das gafes dos famososquem resmungue que poderia fazer as mesmas besteiras pela metade do salário; a corrupção é sistematicamente negada até ser descoberta; as crises políticas acontecem numa quantidade tão impressionante que é impossível lembrar do escarcéu anterior. Na Itália – me garantiram – paga-se a maior carga tributária do mundo. Na Índia, na França e na Indonésia, também. E chega de lamentar-se de que as coisas no nosso cada vez mais dependente país sempre foram confusas. Venha para a Itália e tente descobrir qual a receita original do gnocchi que você vai ver o que é bom pra tosse!

Gnocchi I

2 kg. de batatas;

400 gr. de farinha de trigo.

Cozinhe as batatas com água, tire a casca e passe no espremedor. Misture bem a farinha com a batata ainda quente. Quanto mais quente estiver o purê, menos farinha será absorvida e mais leve ficará o gnocchi. Forme cilindros de massa com a espessura de um dedo, corte em pedaços de um centímetro e meio e faça pressão com a ponta de um dedo (use um outro dedo) sobre cada pedaço. Vá colocando o gnocchi sobre a mesa com um pouco de farinha. Cozinhe em abundante água com sal e sirva com uma colher de manteiga e umas folhas de sálvia fresca ou com um molho. Para esta receita, usa-se 200 gramas de farinha para cada quilo de batatas. A dose de farinha varia de acordo com a capacidade de absorção d’água da batata utilizada. Se você colocar muita farinha o gnocchi ficará duro; se colocar pouca, a massa se desmancha ao colocar na água ou no prato, depois de cozido. Vá treinando e me convide quando estiver com prática.

Gnocchi II

Batatas;

Farinha de trigo;

1 ovo.

Cozinhe bem as batatas, descasque e amasse no espremedor ou com um garfo. Adicione um ovo cru e misture bem. Vá colocando a farinha até obter uma massa macia e consistente. Coloque uma panela com água e sal no fogo. Forme cilindros com a massa, usando um garfo para cortar. Com o próprio garfo faça uma ligeira pressão sobre cada cilindro de massa (deve ficar ligeiramente achatado). Deixe o gnocchi sobre uma folha de papel forno com um pouco de farinha até o momento de cozinhar. Com a água fervendo, coloque o gnocchi aos poucos, retirando quando vier à tona. Tempere com o molho de sua preferência ou cubra com queijo ralado e um pouco de manteiga, leve ao forno para gratinar e sirva.

Gnocchi III

1,2 kg de batatas;

0,3 kg de farinha de trigo;

1 pitada de sal;

1 ovo.

A quantidade de farinha pode variar conforme o tipo de batata utilizada, sendo necessário literalmente meter a mão na massa para sentir a consistência. Cozinhe as batatas com casca em abundante água sem sal por cerca de trinta minutos. Descasque e passe no espremedor. Após esfriar, ponha o ovo cru, a pitada de sal e misture bem. Adicione a farinha aos poucos até formar uma massa homogênea. Forme cilindros grossos e corte em pedaços regulares. Apoie um garfo sobre a mesa e passe cada gnocchi sobre a ponta do garfo, fazendo ligeira pressão com o polegar para formar a cavidade e as estrias que caracterizam a massa. Cozinhe em abundante água salgada, retirando com uma escumadeira à medida que vêm à tona.

Bom, é melhor para por aqui, ao menos com as receitas para a massa. Quanto ao molho, pode-se usar de tudo, mas esqueça de me convidar caso decida arriscar servi-la com um pesto, molho ai funghi, com atum ou outros frutos do mar. Aliás é mais fácil fazer uma lista positiva. Me convide se for acompanhado do tradicional molho à bolonhesa, com molho de gorgonzola ou com manteiga e folhas frescas de sálvia. Molho branco se for gnocchi alla romana, mas esse é um outro prato e se parece pouco com o gnocchi tradicional.

Molho à bolonhesa (Ragù di carne)

Carne moída;

Tomate;

Pouco bacon;

1 copo de vinho branco;

Azeite;

Pimenta do reino;

1 folha de louro;

Cebola;

1 dente de alho;

1 pitada de açucar;

Sal.

Escolha um pedaço de patinho ou outra carne com pouca gordura e moa (ou corte em cubinhos e vá cortando até desmanchar). Lave, tire a pele e livre das sementes os tomates bem maduros (coloque os tomates por dois minutos na água fervendo para facilitar essa operação). Ponha um pouco de azeite em uma panela e deixe aquecer, coloque a cebola batidinha e o bacon. Mexa e coloque a carne. Quando a cebola começar a dourar, junte o alho esmagado e frite mexendo sempre. Quando tudo estiver frito adicione os tomates e deixe desmanchar. Coloque a folha de louro, a pimenta do reino, o sal, abaixe o fogo e deixe cozinhar lentamente. Quando começar a enxugar, coloque o vinho, deixe evaporar e corrija a acidez com o açucar. O molho estará pronto quando adquirir uma consistência cremosa. Prove e regule o sal. Sirva sobre o gnocchi e, por último, uma boa dose de queijo ralado.

Enlouqueça decidindo e treinando a receita. Pratique muito. Escolha um vinho tinto seco mas não muito marcante. Prepare uma carne com legumes como segundo prato, uma sobremesa à base de fruta (torta, pudim ou sorvete) e um licor para acompanhar o café. Faça-me o convite; espere receber uma outra garrafa de vinho (que prefiro não correr certos riscos); sirva-me com abundância, mesmo que eu peça para servir pouco e aguarde os elogios. Mas, atenção: se você não treinar o suficiente, corre o risco de ver o seu jantar acabar em pizza.

13 comments:

Leila Silva said...

Um dia vou tentar...quanto aos molhos concordo plenamente.
Abraços

Lucia Malla said...

Allan, eu aprendi a fazer um gnocchi de camarao q poe o mesmo dentro da massa do gnocchi, q fica com aquele gosto delicioso de camarao. Para compartilhar com um excelente vinho branco... hmmm!!! Delicia!
Suas receitas de hoje estao anotadas no meu caderninho, vou fazeh-las qualquer dia desses, jah q aqui em casa eh todo mundo fan de gnocchi.
Beijos!

Flavio Prada said...

Variações em torno de um tema, esta é a cozinha italiana sinfônica. Quando tiver concerto aí, vê se me chama que eu vou. E pode pôr funghi.

Yvonne said...

Allan, leia o meu post de hoje e me diga se você sabe alguma coisa a respeito do que eu escrevi. Quanto à situação da Itália, é incrível saber que é igual a do Brasil.

Manoel Carlos said...

Nós, brasileiros, costumamos fazer com carne assada.
Triste disputa esta, no Brasil há quem diga que o "custo Brasil" é o maior do Mundo.

Cris Bomfim said...

Eu engordo só de ler seus posts... Tava meio atrapalhada e nao pude ler antes, estava com saudade!

Aliás, corrupção tem no mundo todo, mas ao contrario de outros países, que acontece no Brasil se espalha pelo mundo!!!

Paulo Nunes Jr said...

Allan,

Eu adoro gnocchi, mas da um trabalhao enorme pra fazer! haha
Tem uma receita que voce pode rechear o gnoccho con tomate e mussarela.

Momoberry said...

Seu blog tbm é culinária
:P
pena que detesto cozinha
beijos e uma ótima semana
=**

golb said...

Tem certeza que a farinha deve ser colocada com o purê ainda quente? Sempre li (e fiz) o contrário. Depois que esfria, parte da água já evaporou e menos quantidade de farinha vai ser necessária.

De qualquer forma, não é mais fácil comprar Barila? :P

golb said...

Nunca comi os da Rana. Nem da Barila. Pra falar a verdade, nunca provei gnocchi pronto. Gosto mesmo é do gnocchi da mamma! :))) Já experimentou fazer com batata doce? O da mia mamma é assim.

Momoberry said...

te linkei

Momoberry said...

as pedras rolaram...

Ana Maria said...

adoro comer gnocchi mas fazer, nem pensar! ainda não cheguei nesse estágio da arte culinária. ainda estou no capítulo das sopas e das saladas.