Friday, July 08, 2005

Glossário, N-Z

Caros e Caras,
Paz e saúde!

Três semanas podem parecer uma eternidade. Imaginem então o ano todo que tive que esperar para que pudesse viajar e estar no Brasil nesse momento. Já leu os blogs ali do lado direito? Que tal experimentar os outros links? Tem um de um desenhista russo que é muito interessante. Mesmo que não fosse muito interessante eu diria isso. Porque todos acreditamos ser capazes de julgar o que é e o que não é interessante? Vão visitar e tirem suas próprias conclusões. Ou estudem mais um pouco do glossário que o computador está criando sozinho.

• Nerone – o verdadeiro nome de Nero, um certo poeta que morou em Roma.

• Paese - tradução de país. “Il Brasile è un bel paese.”

• Paese – tradução de vilarejo, cidade pequena. “Lui abitta in paese, a Borgonovo val Tidone.” (Ele mora num vilarejo, em Borgonovo, no vale do Tidone.)

• Parmigiano Reggiano – o rei dos queijos. É o que chamamos de parmesão. Produzido na região de Parma e maturado por, no mínimo, dois anos. Na realidade, Parmigiano Reggiano é a marca do consórcio que administra a produção. O queijo é do tipo grana e é similar ao Grana Padano, só que mais duro, mais forte (picante) e se utiliza principalmente ralado sobre as massas. Mas não é raro utilizar outros tipos de queijo ralado, inclusive ricota.

• Pastasciutta – é o macarrão, com ou sem molho, apesar de asciutta ser a tradução de seca. A massa que se diz pasta in umido ou pasta in brodo, vem boiando em um prato de brodo (vide brodo).

• Pecorino – queijo característico da Sardenha. Feito com leite de ovelhas. Lembra o nosso queijo de Minas, fresco, meia-cura ou curado.

• Pizza del Sole – pizzaria minúscula que vende pizza aos pedaços à noite, pertinho de casa.

• Po – diz-se pô. O rio em cujas margens foi edificada a cidade onde moramos.

• Prodi, Romano – ex-presidente da Comissão Européia e futuro primeiro-ministro italiano. Pra que lado ele pende? Depende do vento.

• Provincia – nós conhecemos por micro-região. Formada por uma capital e diversas pequenas cidades ou vilas circunvizinhas coligadas politicamente. Um conjunto de províncias forma uma região (Piemonte, Ligúria, etc.). Um conjunto de regiões forma um país (Itália, etc.). Um conjunto de países forma um continente em crise com a própria moeda.

• RAI – Radio e TV Italiana. Rede de tv estatal com três canais (RAI 1, RAI 2 e RAI 3). Como são estatais, são comandadas pelo chefe de governo (Silvio Berlusconi). Junto com a Mediaset, Sport Italia e La 7, formam as cadeias nacionais. Existem as centenas de Tvs regionais. Só na minha cidade são dois canais. Deve ser por isso que as livrarias abrem à noite.

• Romano – natural de Roma. É o italiano que come macarrão com garfo e colher. Por uma antítese cultural, é tido como o verdadeiro caipira do país. Portanto, o hábito de comer macarrão com garfo e colher só vai bem em Roma. Tem um dialeto que não chega a ser um dialeto, só que ninguém entende. Às vezes, nem eles.

• Salsiccia – lingüiça. Existe um tipo de lingüiça fresca, para fritar ou fazer na brasa, chamada salamella, mas eles não gostam de chamar salamella de lingüiça.

• Sardegna – ilha habitada há mais de três mil anos, quando boa parte do país ainda dormia sob o mar. Durante séculos viveu do pastoreio de ovelha (pecora, daí o nome do queijo: pecorino). Hoje vive de turismo e pecore (plural de pecora). Tem uma língua e cultura próprias. Quanto a língua, é dificilíssima. No que se refere à cultura, seria mais apropriado chamar-se Rapa Nui.

• Sbriccioloni – fabrica de colesterol. É o torresmo italiano. Há algum tempo, um famoso nutricionista italiano afirmou que uma porção de sbriccioloni acompanhada de uma cerveja é uma refeição completa. Desnecessário dizer que virei fã do tal nutricionista.

• Spinello – cigarro de maconha.

• Striscia la Notizia – é o programa de maior audiência. Um jornal satírico que mostra os erros de todas as emissoras, as gafes de apresentadores, políticos e qualquer um que cometa erros na Tv. Fazem denúncias sérias, mas sempre em tom gozador. Já meteram muita gente em cana.

• Tapiro d’Oro – é o prêmio entregue pelo Striscia la Notizia à “anta” do momento. Rubens Barrichello recebeu o dele quando deixou o Shumacher ultrapassá-lo, anos passado.

• Trappatoni, Giovanni – ex-técnico da seleção italiana de futebol. Tem um modo de falar de difícil compreensão. Inclusive aos italianos.

• Villa – casa. Diferente de casa, no sentido de lar. A minha casa é num apartamento. As villas são para os ricos ou para quem mora fora da Città.

• Vin broulè – vinho quente vendido no Norte, pelas ruas, nos dias mais frios de inverno.

• Wurstel – salsicha.

• Zucca – abóbora. Zucchino = abobrinha. Testa di zucca = cabeça de abóbora (oca). Característica de uma nobre casta política (ou vocês pensam que só operários têm casta?)

Espero que a lição tenha sido útil. Confesso que descansei bastante e estou me preparando para a volta. Mas ainda dá tempo para mais uma pescadinha, mais um churrasco, mais uma passeada com um charuto na mão, rodeado pelas minhas meninas.

Ciao.

4 comments:

Patty said...

Bem, que entender um romano seja dificil acho um tanto exagerado...
Observaçao: acredito que um brasileiro nunca conseguirah aprender como se usam as letras duplas em italiano... rs

D. Afonso XX, o Chato said...

Legal, sempre achei que comer massa apoiando o garfo na colher era a última. Infelizmente, por aqui, as "metidas" adoram aparecer fazendo isso. Valeu a informação. Dá proxima vez que encontrar alguém fazendo isso, vou dar o endereço do teu blog e do post. abs

Manoel Carlos said...

Trappatoni é uma prova da auto-referência brasileira, pois quando jogava no Milan, disputava o título de melhor marcador de Pelé com Vicente, moçambicano do Benfica.

AnaBettaBlue said...

ah! essa lição de A -Z foi importantíssima pra mim!

ei! aproveita por aqui! bom final de férias!

abraço!