Thursday, February 24, 2005

San Valentino

Caros e Caras,
Paz e saúde!

14 de Fevereiro é Dia de San Valentino, o equivalente ao Dia dos Namorados por aqui. E pra minha sorte, a televisão, os jornais, rádios e out doors não me deixaram esquecer. Encomendei as flores e providenciei algo para marcar a data. Se dependesse somente da minha memória estaria em maus lençóis, pois, ao contrário daquela gastronômica, tenho facilidade em esquecer certas coisas: datas, nomes, fisionomias e óculos.

Quando é uma novidade, então, nem se fala. Fevereiro, pra mim, é mês de Carnaval, uma festa que costuma separar antigos namorados e aproximar desconhecidos. Dia dos Namorados deve ser comemorado muito depois, quando a relação estiver consolidada. Italiano tem cada uma…

Quando o assunto é comer é que eles são bons. Deveriam inventar o Dia do Jantar, em Fevereiro. Assim, teriam o que festejar, já que em matéria de Carnaval eles só sabem ficar babando, vidrados nas nossas mulatas que a TV mostra neste período.

Dia do Jantar. A italianada iria adorar! Eles saem o ano inteiro para comer fora. Quando tem uma data especial para fazê-lo, é somente um pretexto a mais. Talvez um jantar diferente, uns amigos ou a casa de parentes distantes. Basta ter um motivo. Às vezes, a falta de pretexto é suficiente: “Vamos experimentar aquele restaurantezinho para ter uma opção a mais para a festa da Fulana?” Nem importa se a Fulana faz aniversário daqui a três meses. Não que eles tenham necessidade de desculpas para jantar fora. Com o salário inicial de um operário em torno de € 950,00, todos podem sair para jantar fora vez ou outra. E o fazem; com exceção dos montanaros (os que moram nas montanhas) que são muito econômicos. Mãos de vaca mesmo.

Um das diferenças que considero quando penso em voltar para o Brasil, é o hábito que estamos desenvolvendo de comer bem. E o fato de ver, hoje, as minhas filhas tratando verduras e legumes com certa naturalidade e intimidade. Chegam a cobrar quando falta a salada da estação em casa. Um bom hábito desenvolvido na escola, onde almoçam; planejado de modo a estimular a socialização, espírito de equipe e a responsabilidade, além da boa alimentação. O refeitório da escola é dividido em mesas e cada criança tem um lugar fixo. Ninguém pode recusar nada, incluído frutas, legumes e verduras, sob pena de a mesa perder pontos e não ganhar a estrela no final do mês, ou coisa que o valha. São respeitadas as orientações pessoais dos pais, como não comer carne vermelha ou frutas ácidas, por exemplo. Mas recusar abobrinha ou outro legume neutro pode levar a mesa ao pelotão de fuzilamento.

De resto, pode-se dizer que a dieta mediterrânea é muito inteligente, com muito legume, uma base de carboidratos pouco calórica, pouca carne vermelha, frutas e muito peixe. Infelizmente a TV e os Mac Donald’s começam a influenciar as novas gerações, mas há uma distância abissal entre a obesidade italiana e aquela americana, tão famosa. Todos, sem exceção, obedecem à regra de um copo de vinho a cada refeição para salvar-se de doenças do coração. Alguns se empolgam com o remédio.

A única coisa que não me convence é o café da manhã: café e um brioche! Mesmo nos hotéis ou nos bares, não existem opções. As lanchonetes costumam abrir depois das nove, assim, se você quiser um pão com manteiga ou mesmo um misto quente, deve programar-se no dia anterior e comê-lo em casa. Quando alguém me ouve contar que comi um ovo frito ou mesmo as sobras do jantar, no meu desjejum, costumam perguntar se realmente não existem índios armados com arco e flecha, passeando pelos centros das nossas metrópoles.

Dia do Jantar. Se consigo vender essa idéia à federação de bares e restaurantes, talvez fique rico. Se bem que “dia” não combina muito com jantar. Talvez “Noite do Jantar”. Não… Poderiam me gozar: “Só pode ser jantar! Ou você almoça às oito da noite?” Devo repensar melhor essa idéia. E uma outra que está começando a aquecer os meus neurônios: que argumentos poderia usar para convencê-los a tornar importante a data de aniversário do meu casamento? Com a TV, rádios, jornais e out door anunciando, não correria o risco de esquecê-la novamente, o que teve como excelente atenuante o fato dela também ter esquecido, nas duas vezes que não comemoramos a data, em dezoito anos.


Ciao.

11 comments:

maray furnari said...

Você me fez rir muito! Haja cinismo! Lembro quando as antigas professoras de redação pediam pra escrever sobre algum tema que eu não sabia e eu começava:.." seria interessante hoje falar sobre isso mas acordei com vontade de falar sobre....e enveredava pelos meus assuntos preferidos. Eu era garota e elas tolerantes. Mas hoje, pra cima de moi, vc começar com dia dos namorados e asi no más enveredar para..comida?!! Ô Allan, dá um tempo e caia de boca no romantismo, que não engorda e só faz bem!!
beijão
maray

Anonymous said...

Allan você vai ter que dar presente em São Valentin e também no nosso dia dos namorados. Dose dupla. Um nome? Jantar do Treze de Fevereiro. Se vingar manda a minha comissão. Abraço.

Reginaldo Siqueira - singrando.org

Anonymous said...

Oi Allan!
Aí, dia de São Valentino é só dia dos namorados? Porque os americanos, dão cartões de Be My Valentine, para amigos também!


Compreendo que um país que viveu guerra , que tem uma história de frio, o que significa escassez de alimentos, tenha essa paranóia com comer tudo e não recusar, etc. Mas.. argh! mussolínico, né? Liberdade é tão bom! Mas as filhas vão gostar de não ter 'salada da estação" pois já que não temos estação, todo dia é dia de tudo! E nossas frutas maravilhosas!

O vinho.. lembro de minha avó italiana com seu cálice diário! Aqui, somos totalmente abstêmios, talvez, um dia, o vinho volte à mesa.

Pois em Roma, dei sorte! O café da manhã do hotel era cheio de coisas!! E como os milaneses podem ser incultos? quer dizer, breakfast, petit dejeneur.. a frança é do lado! E o café da manhã se chama 'pequeno almoço".
tira onda, Allan! Falar da diversidade de nossa comida é de deixar qualquer comilão babando!

Angela

Julie said...

(um minutinho que estou acabando de rir... pronto)
eu adoro a dieta mediterranea. alem de gostosa, é quase sempre ràpida (coisa muito conveniente). como suas filhas, aprendi a comer verdura aqui. mas suas meninas ainda comem na escola?
voce me fez pensar agora: acho que tenho que virar operaria. se o salario deles é assim mais alto do que o meu, o que eu estou esperando pra mudar de emprego?!

Denise Arcoverde said...

Eu tenho uma sugestão... conta pra gente a data de aniversário do seu casamento e a gente lembra a você, pra isso que se tem amigos, né? ;)

Eu AMO a comida mediterrânea, adoro frutos do mar e muito, muito azeite de oliva, e pão italiano, hein? não posso nem lembrar...

A escola das meninas, hein?... maravilhosa! Bia estudou numa escola que era assim, também, tinha "lanche coletivo", mas faltou as estratégias para o "paredão", pra mesa que não comesse de tudo hehehe... Bia, simplesmente, escolhia não comer nada...

Quanto ao seu recadinho, lá no blog, sobre Atkins, eu acho que como melhor e me sinto melhor agora, pra horror dos puros de alma, ainda mais depois que sabem que eu fui vegetariana. É uma dieta fácil de fazer, pra mim (e aqui nos EUA, onde tudo é "low carb", claro!).

Manoel Carlos said...

Há alguns anos conheci o www.elefante.com.br, desde então, sou o mais gentil dos mortais, jamais esqueço os aniversários de colegas, amigos e parentes.
Com alguns vinhos italianos, melhor morrer do remédio que da doença.

Nora Borges said...

Meu amigo, houve uma época em Recife em que todo dia 29 era dia do "Jantar". Você pode instituir a data aí e juntar um grupo que faça um revezamento de casas. O prato que nós fazíamos começou com um Inhoque ( com direito à noite de 1 real embaixo do prato)... mas depois foi variando de prato.
Era ótimo!

luma said...

Dizem as más línguas que esquecer data é coisa de homem, então fujo a regra, porque se não anotar e ficar sempre conferindo. Tinha uma tia que no dia do meu aniversário era a primeira a me ligar e agora sempre quando esta data chega, eu lembro dela com muito carinho.
Não é a toa que a Itália é conhecida pela sua mesa. Tenho um amigo italiano que quando chega em casa ele "arrasa" literalmente com a dispensa. Acho ótimo. Gosto de cozinhar e ver tudo indo embora. Não gosto de sobras...Por aqui o prato principal é a salada.
Beijocas,
Luma

cadê o ralo said...

Ciao Allan! Adorável! Voce está nos acostumando mal com estas delícias de post.
Boa semana!

Biajoni said...

meu... queria escrever que nem vc, allan. putz! meu... maravilhoso!

Maria Odila said...

Não só gostei como ri como fiz mais. Chamei minha mais nova, a Lulu para ler sobre os legumes. Ela anda agora aceitando melhor as saladas porque sabe que sem elas... adeus regalias dos comes e bebes. E fiquei toda feliz quando disse que a feijoada dela sem couve não é feijoada. Pai e mãe tem cada uma não é? Mas adorei te descobrir e ler
beijos felizes
Maria Odila
http://digressivamaria.blogspot.com/