Sunday, May 03, 2015

Piadas italianas


O humor italiano parece muito com o nosso, mas às vezes é mais ácido. Como em qualquer piada, o contexto cultural pesa muito. Algumas piadas são mais engraçadas se contadas com o sotaque de determinada região ou no dialeto local. Aí vão algumas:

Gianni foi almoçar na casa de Pietro. Adorou o prato e perguntou o que era e se admirou quando o amigo respodeu:
▬ Testículos de macaco.
▬ E onde você acha isso por aqui? – perguntou Gianni.
▬ Eu mesmo caço. Se quiser, na próxima vez vem comigo. Você cuida do cão e da espingarda e eu subo com o porrete

E, assim, partiram um dia para caçar macacos. Pietro explicou tudo ao amigo:
▬ Você segura o cachorro e a espingarda; quando eu abater o macaco e ele cair, solte o cão que ele sabe o que fazer.

Andavam pela floresta em silêncio, observando o alto das árvores. Quando avistava um macaco, Pietro subia na árvore, dava uma porretada no bicho, que caía e Gianni soltava o cachorro. Era o cão que corria e arracava com uma dentada os testículos do macaco.

Cinco macacos depois, Gianni pergunta:
▬ Mas... Pietro, você pediu pra eu segurar o cão e a espingarda. Ainda não entendi pra quê trouxemos a espingarda...
▬ Pelamordedeus, Gianni. Se a cair for o seu compadre aqui, atire no cachorro!!!

***

O senhor de oitenta e dois anos foi renovar a carteira de habilitação. Chegando no Detran, foi recebido por um servidor sentado numa escrivaninha. Informado da intenção do ancião, o funcionário disse:
▬ Não, o senhor está muito velho para continuar guiando. As coisas mudaram muito...
▬ Mas se eu passei no exame médico, dirijo há mais de sessenta anos e jamais tive uma multa ou causei algum acidente? – Respondeu o idoso.
▬ Mas não basta. As coisas mudaram muito e o senhor não saberia como resolver certas situações.
▬ Faça um teste: faça-me alguma pergunta para verificar meus conhecimentos de trânsito...
▬ Ok! Suponhamos que o senhor vai por uma rua escura e vê um farol vindo na direção oposta. O quê poderia ser?
▬ O quê poderia ser?! Uma moto, é claro!
▬ Viu? As coisas mudaram muito. Não basta responder “uma moto”; é preciso especificar: uma Suzuki, uma Honda, uma Yamaha... Não dá, não dá!
▬ Faça outra, verá que me saio melhor.
▬ Ok! Suponhamos que o senhor vai por uma rua escura e vê dois farois vindo na direção oposta. O quê poderia ser?
▬ O quê poderia ser?! Um automóvel, é claro!
▬ Definitivamente, não dá! Não basta reponder que é um automóvel, isso até uma criança saberia. É preciso especificar: Um Hyudai, uma Mercedes, Uma BMW...
▬ Doutor, me dê uma útima chance.
▬ ...Ok, última chance. Suponhamos que o senhor vai por uma rua escura e vê dois farois  e um monte de luzinhas no alto, parecendo uma árvore de Natal, vindo na direção oposta. O quê poderia ser?
▬ O quê poderia ser?! Um caminhão, é claro!
▬ Sinto muito, esqueça a renovação. “Um caminhão” não é suficiente, é preciso especificar: um Scania, um Volvo... Sinto muito, vá pra casa e não volte mais.

O idoso ia saindo cabisbaixo quando se voltou e perguntou:
▬ Engenheiro, posso fazer eu uma pergunta pra ver se o senhor tem a competência pra me avaliar?
O funcionário – um pouco contrariado respondeu:
▬ Certo, faça a sua pergunta.
▬ Suponhamos que o senhor vai por uma rua escura e vê num canto um braseiro com uma mulher muito maquiada, saia curtíssima e que lhe acena. O quê poderia ser?
▬ O quê poderia ser?! Uma prostituta, é claro!
▬ Viu? O senhor não tem competência pra me avaliar. Não basta responder “uma prostituta”, é preciso especificar: a sua mãe, sua irmã, sua esposa...

***

Um caminhoneiro pára ao lado de uma prostituta, que lhe diz:
▬ Ei, belo! Se me pague cinquenta euros faço tudo o que quiser.
O caminhoneiro não perdeu tempo. Desceu do caminhão, deu cinquenta euros à prostituta e lhe disse.
▬ Feito! Me descarregue todo o caminhão.

***

O marido vai ao médico e diz:
▬ Doutor, estou preocupado com a minha esposa. Acho que ela está ficando surda.
O doutor lhe responde:
▬ Bem, me mande a sua esposa que eu faço um teste e resolvemos o problema.
▬ Mas doutor, não gostaria que ela se chateasse descobrindo dessa maneira.
Então o médico propõe:
▬ Façamos assim: quando chegar em casa diga uma frase à sua esposa e veja se ela responde. Se aproxime e repita a frase, no mesmo tom de voz. Vá repetindo e se aproximando até que ela responda, calcule a distáncia e me informe. Vejamos se consigo fazer uma avaliação.

O marido foi para casa, abriu a porta e perguntou:
▬ Querida, o fez para o jantar de hoje?
Não ouvindo nenhuma resposta, se aproximou dois metros e repetiu. Nada. Se aproximou mais dois metros e... Nada. Chegou à porta da cozinha e perguntou de novo. A mulher se vira e responde:
▬ Frango com pimentão!!!  É a quarta vez que te respondo, vá visitar um otorrino!

***

5 comments:

Georgia Aegerter said...

Allan, dei boas risadas por aqui. Obrigada. Faca isso mais vezes, pois sorrir é saudável.

Boa semana

Anonymous said...

tio,
você é engraçado, tio. muito engraçado

pedro luis

Sissym Mascarenhas said...



Aiii Allan, ri demais com a primeira.
Até iamginei a cena. hahahahah
Todas otimas!

Bjs

Luma Rosa said...

Oi, Allan!
Lógico que a piada que mais gostei foi do marido surdo! kkkkkkkkk
Beijus,

Denise Rangel said...

Muito boas. Só não curto as que associam mulheres a prostitutas.
Abraço, garoto