Thursday, May 01, 2014

Ayrton Senna - 20 anos


Naquele domingo nos preparávamos para ir à praia. A corrida antes. Enquanto a Eloá arrumava a bolsa de praia, organizava a casa para a volta, descobria onde a Bianca tinha escondido o protetor solar e sorria ao encontrar a geladeira aberta, o chão lambuzado e o vidro de azeitonas vazio, eu e a Bia assistíamos a corrida. Com a cabeça apoiada no meu peito, ela aprendia a torcer: gritava, se empolgava com as ultrapassagens, xingava.

Vinte anos depois ainda lebro da curva Tamburello encerrando o domingo. Foram muitos outros domingos sem brilho, sem a empolgação matinal, de um sol triste. O cantor e compositor italiano Cesare Cremonini escreveu numa canção: “desde quando Senna não corre mais/não é mais domingo.” Essa é a sensação que durou por muito tempo.

Vasco Rossi e Tulio Ferro também fizeram uma música em homenagem a Senna: Gli Angeli  ( Os Anjos). O grande Lucio Dalla interpretou a canção “Ayrton” (chamava-se, incialmente, “Il Circo”) de Paolo Montevecchi, dedicada ao Ayrton Senna. A letra diz:

Il mio nome è Ayrton e faccio il pilota
e corro veloce per la mia strada
anche se non è più la stessa strada
anche se non è più la stessa cosa
anche se qui non ci sono piloti
anche se qui non ci sono bandiere
anche se qui non ci sono sigarette e birra
che ti pagano per continuare
per continuare poi che cosa
per sponsorizzare in realtà che cosa.
E come uomo io ci ho messo degli anni
a capire che la colpa era anche mia
a capire che ero stato un poco anch'io
e ho capito che era tutto finto
ho capito che un vincitore vale quanto un vinto
ho capito che la gente amava me
potevo fare qualcosa
dovevo cambiare qualche cosa.
E ho deciso una notte di maggio
in una terra di sognatori
ho deciso che toccava forse a me
e ho capito che Dio mi aveva dato
il potere di far tornare indietro il mondo
rimbalzando nella curva insieme a me
mi ha detto "chiudi gli occhi e riposa"
e io ho chiuso gli occhi.
Il mio nome è Ayrton e faccio il pilota
e corro veloce per la mia strada
anche se non è più la stessa strada
anche se non è più la stessa cosa
anche se qui non ci sono i piloti
anche se qui non ci sono bandiere
anche se forse non è servito a niente
tanto il circo cambierà città
tu mi hai detto "chiudi gli occhi e riposa"
e io adesso chiudo gli occhi...

Que traduzo:

O meu nome è Ayrton e sou um piloto
e corro veloz pelo meu caminho
mesmo não sendo o mesmo caminho
mesmo não sendo mais a mesma coisa
porque aqui não existem pilotos
porque aqui não existem bandeiras
porque aqui não existe cerveja e cigarro
que te pagam para continuar
depois, para continuar o quê?
Para patrocinar o quê, afinal?
E como homem precisei de alguns anos
para entender que a culpa era minha também
para entender que era, um pouco, eu também
e entendi que era tudo de mentira
entendi que um vencedor vale como um vencido
entendi que a gente me amava
poderia fazer alguma coisa
deveria mudar alguma coisa.
E decidi, numa noite de maio
numa terra de sonhadores
decidi que era a minha vez
e entendi que Deus me tinha dado
o poder de fazer o mundo voltar para trás
ricocheteando na curva junto comigo
me disse “fecha os olhos e repousa”
e fechei os olhos.
O meu nome è Ayrton e sou um piloto
e corro veloz pelo meu caminho
mesmo não sendo o mesmo caminho
mesmo não sendo mais a mesma coisa
porque aqui não existem pilotos
porque aqui não existem bandeiras
até porque não serviu a nada
pois o circo mudará de cidade
você me disse “fecha os olhos e repousa”
e eu agora fecho os olhos...

Felizmente Ayrton não era unanimidade. Não era santo nem superficial. Lia-se no rosto as emoções, as dúvidas e um certo orgulho por ter chegado aonde chegou. Felizmente existiu, felizmente foi Ayrton.

 

. 

10 comments:

Denise Rangel said...

Eu estava voltando da igreja. Não assistira à corrida naquele domingo. Não acreditei quando soube. Senti tanto. Perdi o interesse pelas corridas. Nunca mais as assisti.
Abraço, garoto

Anonymous said...

Sem Ayrton não tem graça.

Thais Miguele said...

Eu não estava assistindo a corrida. Só soube depois. Acho que eu estava na sétima série, e me lembro que no dia seguinte não houve aula, porque até a escola estava em luto. Foi estranho. Pra uma criança era difícil de compreender, nós apenas imitávamos os adultos. Mas foi marcante, porque obviamente, algo muito importante aconteceu naquele dia. Agora, adulta, assisti o filme do Ayrton Senna, li alguns livros, e realmente compreendi a grandiosidade daquilo que foi perdido.

Tati e Seus Nicola'S said...

Pois é. Ontem, óbvio, foi dia de relembrar um pouco a história do Senna em todos os canais de tv por aqui. Meu Pequeno viu boa parte dos documentários e reprises de corridas. E, embora as crianças da idade dele não estejam acostumadas, por exemplo, com a qualidade de imagens de antigamente, ele ficou grudadinho no sofá, com o olho paradinho na tv. Contei pra ele que, naquela época, dia de corrida era sagrado. Toda a família ficava reunida na frente da tv torcendo com/pelo Senna. Realmente nunca mais os domingos foram os mesmos e, até hj, qdo toca o Tema da Vitória, a gente se emociona.

Anonymous said...

tio,

eu chorei, tio

pedro luis

Anonymous said...

mas se rir eu rasgo essa merda toda, tio

pedro luis

Teresinha Ferreira said...

Olá Allan,
Nossa, parece que foi outro dia e já se passaram 20 anos...
Meu marido foi viajar e disse para eu ficar vendo a corrida, pois ele estaria dentro do avião.
Confesso que vi por ele, pois detesto corrida... Na hora do acidente, estava com os olhos fixos na TV. Pena!
Triste demais...
Bons fluidos

Thais said...

Ciao Allan,
Jamais esquecerei daquele dia. Era meu aniversário de 20 anos e todos me ligavam para dizer primeiro da tragédia e depois dar os parabéns...
Così è la vita
Un abbraccio

Bah said...

Eu ainda tenho a memória viva daquele dia. Estava assistindo, como todos os domingos, esperando pra tocar a famosa música que hoje nos deixa muitas saudades. Perdemos um herói brasileiro mesmo.E por isso sinto pelo nosso país, que precisamos não apenas de um representante lá fora, mas de um cara que era super humano, se importava com as crianças e com a alegria que ele dava ao povo brasileiro.

Kisu!

author casulo-online said...

Você leu a (s) biografia (s) dele? nada não, só curiosidade.

Eu fiquei consternada como todo brasileiro que levantava cedo para não perder nenhuma corrida com ele.

Bia é sua filha? Hoje com mais de 20a suponho.