Wednesday, March 20, 2013

Caruso

Minha insônia agora tem companhia. Há uns dez dias, apesar das temperaturas não deixarem dúvidas sobre a intensidade e a longevidade desse inverno, o Caruso vem anunciando a primavera. Caruso é o melro-preto [Tuldus Merula], um pássaro canterino que mora em frente, do outro lado da rua, no telhado da igreja. Já virou tradição escrever sobre o Caruso e prefiro não interromper tradições (veja AQUI, AQUI, AQUI, AQUI e AQUI). Canta, Caruso. Canta.

Telhados antigos devem possuir muito nichos, aberturas e espaços vazios. Ou isso, ou eu não sei porque tem tanto pássaro vivendo no telhado da igreja da frente e no convento nos fundos (são duas estruturas religiosas, uma na frente e outra nos fundos do apartamento onde moramos). Quando chega a primavera, falta telhado.

Nesses anos de Itália, ampliei meus conhecimentos sobre o melro-preto. Descobri o que já desconfiava: em regiões frias, o pássaro migra, sim. E Piacenza é muito fria durante o inverno. Deveria ter aprendido com ele, procurando sempre um clima agradável. Que lugar do mundo tem primavera quando aqui é inverno? E outono, quando aqui é verão?

O retorno do Caruso é sempre um momento de festa. O que me faz lembrar de começar a deixar migalhas no balcão da cozinha. Mas esse ano tem algo diferente, pois o bichinho começa a cantar por volta das três e meia da madrugada, três horas antes do nascer do Sol. Sou testemunha e vítima. Dou de ombros e tento me convencer de que deve ter alguma coisa de positivo em não conseguir cochilar pelo canto do passarinho. Mas que ele podia deixar para cantar depois das seis, Ah, podia sim.

O Caruso faz festa com migalhas, troca de ninho toda vez que a fêmea depõe ovos (o que acontece três vezes por ano) e, ao que parece, passou a sofrer de insônia. Eu também não dormiria se fizesse tantos filhos assim. O Caruso parece não se importar muito com os vizinhos, não tem prestações nem faculdade dos filhos. Também não paga impostos, não enfrenta filas nem tem que lidar com a burocracia. Vai ver, é por isso que está sempre feliz. Canta, Caruso. Canta.
.

10 comments:

Minha vida na Italia... said...

Eu amo o canto dos passaros, mas, desde que me deixe dormir rs
lembrei de uma casa que morei no Brasil, era um condominio tipo chácaras onde tinha muito verde mesmo. E tinha um sabiá que toda manha ficava bicando a janela de vidro do meu quarto. A imagem dele refletia no vidro e ele imaginava que se tratava de outro da sua especie kkkkk, era engraçado, mais certas vzs me deixava irritada pq eu queria dormir...abraçao

myra said...

feliz o Caruso!!!! e voce por ter ele:))))gostei!!!!!
beijos

Bah said...

Acho que fiquei tanto tempo acostumada com barulho de caminhões, de tiros, de gritaria, de funk, que canto de passarinho deve ser uma canção suave aos meus ouvidos. Aqui ouço pouco. Não sei onde eles ficam no inverno.

Kisu!

Letras Saltitando said...

hahahaah, que lindo post!
Caruso não tem prestações. Adorei!
Belo blog!
Mais um parceiro da insônia então.... e vamo que vamo!
Abraço!!!

Léia Silva said...

Oi Allan
Então esse danadinho chama-se Caruso!
Acordo sempre com o cantar dos pássaros, pois no fundo da minha casa tem um bosque - adoro!
Nos dias que fiquei doente acordei muitas vezes de madrugada e pensei em como era possível os pássaros cantarem naquele horário com tanto ânimo - hehehehe!
Um abraço
Léia

Sissym said...

Allan, pode acreditar que eu fui em todos : aqui, aqui, aqui, aqui e aqui?! Eu nao estive presente, por escrito, em todos, mas foi bom voltar a ler um deles.

Bom, se Caruso é motivo de festa, não se esqueça de oferecer as migalhas, assim todo ano vai lembrar de sua cidade e de voce!

Beijos

Amantikir said...

Allan,lá na chácara tem muitos passarinhos,tem canarios da terra que fazem ninho na varanda,maritacas,que fazem uma algazarra enorme,uma sabiá que canta ao amanhecer,seriemas que não nos deixam dormire o curiango que 'grita'? canta? pia? a noite inteira"! Mas gostamos muito deles!
Bjs Inté!

angela said...

Oi Alan! bom saber novamente de você.
Resolvi meus problemas de sono com os tais "audiolivros". Baixei, inicialmente, todos os "teleteatros" da Radio Nacional da década de 70, que está disponível na rede. E também outros tantos livros que encontramos por aí. Começo a ouvir, de olhos fechados, pronto. Nunca sei quem matou . :-) Dá certo!

Celia na Italia said...

Caruso e insonia, o lado bom é que parece que o inverno está se despedindo.
Sinto saudades deste inverno e das coisas lindas daí!
Uma ótima semana meu caro amigo!

Reflexos Espelhando Espalhando Amig said...

Linda terça pra nós!
Bjins
Catiaho Reflexo d'Alma