Wednesday, May 23, 2012

Terremoto na Itália


Domingo passado foi um daqueles dias que desejamos não vivenciar. Às 04:05 h um terremoto de 5.9 graus Richter abalou muitas áreas da região da Emilia-Romagna, causando estragos e vítimas. O tremor também foi sentido em outras regiões do centro e do norte do país (principalmente na Planície Padana), mas com menos intensidade. Até a terça-feira, 22 de Maio, foram mais de 100 tremores na região, alguns superaram os 4 graus. A cidade de Piacenza, onde moramos, fica na região da Emilia-Romagna, na zona central da Planície Padana, distante mais de 100 quilômetros do epicentro do terremoto e poucos piacentinos sentiram o movimento sísmico. Apesar de fazer parte do grupo de pessoas que sente mesmo os abalos menores, confesso que não senti os tremores de menor intensidade, desta vez. Não todos.

Se você nunca sentiu a Terra tremer, conte com a minha inveja; não é agradável nem divertido. O importante é ter sangue frio e saber o que fazer, mas colocar em prática as regras de sobrevivência numa hora dessas funciona mais na teoria do que na prática. Sangue frio não me falta e não me assusto facilmente; o problema é quem não teve tempo de tomar qualquer atitude.

O socorroem caso de catástrofe – é sempre tempestivo; a corrida da solidariedade começa assim que se tem notícia de uma calamidade. A Proteção Civil Italiana, a Cruz Vermelha, várias entidades voluntárias e os órgãos do governo se mobilizam e dividem as tarefas; à população que não participa de um corpo voluntário e não foi envolvida pelos efeitos do terremoto cabe a contribuição voluntária com roupas, remédios, mantimentos e possível oferta de abrigo a quem não possui mais uma casa. As autoridades procuram desencorajar ao máximo a participação no socorro de quem não foi devidamente treinado; os heróis improvisados são úteis imediatamente após a catástrofe. Os veículos de informação iniciam campanhas para arrecadação de fundos que serão utilizados na reconstrução de escolas, hospitais, etc. Esperamos ter passado o pior e agradecemos os e-mails preocupados.

Site do Instituto Italiano de Geofísica e Vulcanologia: http://www.ingv.it
.

12 comments:

Amantikir said...

Sempre que temos notícia de uma catástrofe nosso primeiro pensamento se volta para as pessoas que conhecemos e que estão lá.Muito bom saber que voces estão bem.Tomara que tudo tenha se acalmado.Um abraço.Inté!

La Nostra Italia said...

Estava pensando mesmo em Piacenza e província. Ainda bem que está tudo sob controle.
Também sentimos os tremores na provícia de Brescia. E realmente você fica sem saber o que fazer.

myra said...

tremendo os terremotos, demais na Italia! terrivel! acho que sangue frio nao ajuda mto..qdo é forte demais!!!
abraços

maray said...

e pensar que eu estive em Ferrara e a vi antes do terremoto..além das vidas perdidas e das pessoas que se feriram, patrimônio histórico e arquitetônico inestimável perdido! A gente, que é de um país que não preza sua história nem seu patrimônio, sente demais isso. O terremoto, quando pequeno, a gente acaba nem sentindo. Lembro que estava em São Francisco no último dos muitos terremotos de lá e achei que era o caminhão de lixo passando na rua...porque aqui em sampa, com o montão de buracos nas ruas, quando o caminhão de lixo passa, toda a casa treme!
Boa sorte pra vcs! Um abração!

Milena F. said...

Nunca senti um terremoto e confesso que me sinto privilegiada! Não desejo essa experiência para ninguém! Vamos torcer para que a situação se acalme na região. Boa sorte!

Inaie said...

querido, os terremotos que senti foram "fichinha". Serviram só pra me dar boas histórias para contar.
Que bom que vocês estao bem.

Sissym said...

Eu tenho uma amiga que morou 4 anos no Mexico, foi estudar lá! E dizia que quase diariamente a terra tremia, algumas vezes era pior. Num tremor mais significativo, viu o predio da frente balançar de maneira que as janelas foram perdidas de vista e depois voltaram ao lugar!
Deve ser uma sensação, diaria, horrorosa. Não sei como as pessoas suportam conviver com algo que pode se transformar em catastrofe.

A Italia, nos ultimos tempos, tem sofrido com isso.

Eu fico feliz que voce esteja bem e mantendo contato.

Eu concordo que ser capaz de socorrer não seja para todos, precisa discernimento, sangue frio, atitude e treino. Mas na hora do sufoco, vidas clamam pela chance de serem salvas.

BEIJOS e que Deus abençoe voces.

Anonymous said...

Allan,
Sou sua leitora desde o primeiro post. Você já me fez rir muito, me emocionou, me fez refletir. Fiquei preocupada quando soube do terremoto na sua região. Fico mais tranquila por você e por sua família. Rezo uma prece para que tudo continue bem.
Mary

Viagens a Dois said...

Olá Allan, tal como você, nós também invejamos aqueles que nunca sentiram a terra tremer. Os tremores que sentimos foram sempre muito brandos, mas mesmo assim sentimos que tudo o que se aprende na teoria é difícil pôr em prática. Até porque o mais fácil nesses momentos é "bloquearmos".
Muita protecção para todos é o que desejamos.
Abraço

Bruxa do 203 said...

Vamos torcer para que tudo fique bem e sem terremotos.

Georgia said...

Pôxa Allan, passei por aqui e nao vi nada sobre a noticia do terremoto e nao quis perguntar porque geograficamente eu sou péssima e pensei que o terremoto tivesse sido bem longe de vc e por isso achei que perguntar se vcs estavam bem seria inconveniente, pois achava que vcs moravam longe da zona de abalo.

Sorry!

Por aqui já senti a terra tremer, a casa também, mas mesmo que eu pudesse ter qqr reacao, nao teria dado tempo pra nada.

Abracos e foi bom saber que todos vcs estao bem.

Lili Detoni said...

Nossa! Como eu fiquei preocupada com vc e sua família! E, hoje, mais uma vez, a preocupação tomou conta do meu coração... Espero que estejam bem, Allan, pois vi pela TV que os tremores foram mais intensos dessa vez... Estou preocupada com todos os amigos que vivem aí. Aqui no Brasil somos abençoados sem os tremores, mas, infelizmente muitos brasileiros não valorizam o patrimônio do país... por isso, eu que amo a história, estou muito triste tbm pelas perdas da arquitetura e patrimônio da Itália. Nos mande notícias! espero que tudo volte calmamente para os devidos lugares. Abbraccio!
Lili.