Sunday, March 22, 2009

A ironia de chamar-se Terra

Houve um tempo em que ocorriam mini batalhas navais no Coliseu. A construção foi planejada de modo que parte dele pudesse ser inundada em umas sete horas. Tudo para divertir o povo. Hoje, rotineiras análises controlam a quantidade de cocaína, entre outras substâncias, lançada nos rios italianos. Parece que esse povo não se cansa de se divertir às custas da água.

Quando surgiram os primeiros ozonizadores d’água no Brasil, um dos argumentos usados pelos vendedores era que os franceses beberiam água do Sena ozonizada, completamente livre de microorganismos e filtrada. “Da melhor qualidade”, diziam, mas creio tratar-se de mais uma lenda urbana. Me assustava saber que os rios pudessem ser tão poluídos que nenhum peixe se atreveria a nadar neles. Me assustava – e me assusta ainda – saber que os rios não terminam em um depurador e que tudo o que é despejado neles é absorvido pelo ciclo natural das águas, contaminando mares, plantações e terrenos, que fornecem peixes, hortaliças e pastos para os animais que ingerimos. Cocainômano passivo sou.

A água irá se tornar o produto de largo consumo mais caro e raro, e nem por isso poderemos abrir mão dela. O único modo de estocá-la é congelando, mas uma família de 4 pessoas iria precisar de um congelador maior que a casa para ter um estoque de poucos dias. E já imaginaram a conta da luz? Portanto, o único meio viável para minimizar o problema é economizar. Uma simples descarga no banheiro joga pelo esgoto mais água de que dispõem muitas famílias africanas por um dia inteiro.

Muita água rolou desde o Império Romano, mas ela foi contaminada por agrotóxicos, resíduos industriais e toda espécie de poluição que pagamos pelo progresso. Inclusive aquela gerada pela produção e transporte de alimentos. Se o alimento for industrializado, então… Adotar atitudes de consumo eco-compatíveis não deve ser encarado como uma moda, mas como necessidade, ou esse mundo irá por água abaixo.

Observando a irresponsabilidade com que tratamos esse bem precioso e necessário, o nome escolhido para o nosso planeta soa como ameaça. Perseverante como é, o ser humano parece estar cumprindo a previsão de que o mar iria virar sertão, mas o sertão não vai virar mar. Pecado, poderia ser um mar de água doce. Vamos todos acabar mesmo no pó. Alguns rios já o demonstram.

7 comments:

Meire said...

Sabendo usar nao vai faltar...hoje tb falei do dia mundial da agua.
Bjs

Meire

Manoel Carlos said...

Postagem que faz pensar...
No Brasil, é visível o efeito da ação predatória. Nos anos recentes tivemos, coisa inédita!, seca na Amazônia. O cerrado está prestes a virar caatinga. Nas cidades, as doenças são, em sua maioria, conseqüêcia do uso de água insalubre.
Manoel Carlos

angel said...

Difícil ver o quanto as pessoas se preocupam com coisas fúteis como beleza, dinheiro, poder e não dão a menor importância ao maior tesouro que temos: a água.
Vemos o desperdício, o mau uso, rios contaminados. Até parece que esta preciosidade não nos fará falta.
Mas, infelizmente, ainda estamos muito longe de agirmos com consciência. Não basta ter educação( muitos a tem e nem por isto são conscientes)precisamos de ação. Comecemos nós então. Quem sabe um dia outros se mobilizarão, e com sorte mais outros.
Abraço
angel

Ana Leticia said...

Pois aqui a natureza tb se revolta, Allan. As ruas têm virado rios, e os espaços diminutos dedicados a estes, são facilmente afogados em pororocas sem fim...
Temos que continuar fazendo a nossa parte!
Bj
Ana Letícia
www.mineirasuai.blogspot.com

Georgia said...

Allan, muito inteligente a maneira como você tratou o assunto despertando a curiosidade...

Infelizmente acredito mesmo que as geracoes futuras vao sofrer este grande problema. Há uma superpopulacao e fora disso a maioria nao está educada para isso. Será que vai bastar cavar um poco como antigamente? Se vale, vou vender água pois, tenho um no quintal, rs.

Abracos

celecelestino said...

Olá Allan , agora já estão privatizando a agua na Itália , tomara que possa nascer uma consciença mais critica sobre o tema...
Como vc sabe , venho dum vale cuja agua já foi explorada e poluida , e desde sempre tentei sensibilizar mais gente possível
abraços

Segunda impressão said...

Não é só irresponsabilidade, é falta de educação, de consciência, respeito... Muito triste isso! Que esse mundo acorde a tempo! Não podemos esperar para dar valor quando não tivermos mais.