Thursday, January 15, 2009

Telhados Brancos

Este é o nosso décimo inverno na Itália. Lembro de uma manhã de terça-feira de janeiro de 2000, quando, saindo para levar as meninas à escola – logo ali, na esquina – reparei que não fazia tão frio quanto nos dias anteriores. No termômetro -12 ºC. Bem mais quente que os -21 ºC da segunda-feira. Depois daquele ano, nunca mais o inverno foi tão frio. As pessoas comentavam que já não mais nevava em novembro, e que as estações de esqui corriam o risco de falirem. Não sei o que aconteceu, mas o Senhor Inverno voltou. Foram só seis dias de sol, desde os primeiros dias de novembro até hoje. Pouca chuva, muita neblina, neve em quantidade cinematográfica e estações de esqui superlotadas.

Quarta-feira, 24 de dezembro, começou a maratona das festas de fim de ano (sem contar Santa Luzia, dia 14, que não é feriado e 8 de dezembro, esse, sim, feriado nacional); sexta-feira, 26 foi feriado, dia de Santo Estêvão. Depois, sábado e domingo e na quarta-feira seguinte já era 31 de dezembro – Capodanno – com quinta-feira feriado; sexta-feira só abriram as lojas que começaram os primeiros saldos da estação e o fim-de-semana chegou de novo. Terça-feira seguinte, dia 6 de janeiro, outro feriado. E o reinício das aulas, marcado para o dia 7 de janeiro, foi adiado por causa da neve.

Crise? Que crise? Sabe quanto custa uma semana em uma estação de esqui? Ou um cruzeiro no Nilo? Ou 15 dias no Mar Vermelho? As três metas que mais atraíram italianos nessas férias de Natal. A esbórnia do fim de ano fez bem à economia italiana e as vendas foram superiores às do ano anterior. Um ministro foi à televisão pedir apoio à “greve do abacaxi” para evitar o consumo de produtos importados. Achei que a expressão correta deveria ser boicote, mas os políticos possuem uma certa licença andreazziana para se expressar que usam como lhes convêm, o que vanifica qualquer polêmica. Nem tentei.

















Apesar da muita neve que continua caindo, a vida segue adiante. A temperatura em Piacenza tem oscilado entre 6 ºC e -14 ºC, mas existem cidades muito mais frias. A neve cai e aumenta a temperatura que derrete parte da neve. Sem neve a temperatura cai e congela a água que ficou, numa equação que todo motorista deve conhecer e respeitar. Dirigir sobre a neve é possível, desde que com correntes nos pneus; dirigir sobre o gelo, não. Assim como todo pedestre deve conhecer e respeitar a equação que derruba a neve acumulada nas árvores e nos beirais dos telhados.

E o frio não é tudo. Uma nova moda foi importada da França e agora temos a “Associação pela liberação dos anões de jardim”, que andou sequestrando todos os bonecos de papais-noel pendurados nas janelas ou espalhados pelos jardins. Todos foram localizados em praças, sentados pelos bancos com garrafas vazias ao lado. O policial achou que os bonecos estavam sorrindo.

14 comments:

denise rangel said...

Aqui no Rio está um calor infernal. Não sente falta disso? Eu não em adaptaria em um lugar mais frio.
Engraçado o lance dos bonecos.
bom fim de semana
abraço, garoto

Yvonne said...

Querido, apesar de não gostar muito do verão, acho que não conseguiria ficar aí. Meu Deus do Céu! Temperatura negativa? Nem pensar.
Beijocas

Manoel Carlos said...

Neste verão, em Curitiba, por exemplo, teve a temperatura mais baixa nesta estação em quarenta anos, ao mesmo tempo acho que há muito tempo não faz tanto calor no Rio.
O último parágrafo da postagem me fez lembrar de contos poloneses sobre bonecos de neve, na verdade uma sátira às autoridades constituídas.

Manoel Carlos

Georgia said...

Allan, o inverno tá pior ai na sua regiao que na minha. Na Bavária este ano temos -26°, mas por aqui a neve já comeca a derreter.

Greve do abacaxi, essa foi boa;)

Depois de tantos feriados a vida precisa continuar, nao?

Abracos e linda a lua fotografada por você?

Leila Silva said...

Obrigada pela receita, Allan. Vou tentar um dia destes.

Às vezes eu também me pergunto onde está a tal crise, para os shows da Madonna, por exemplo, não teve crise, as entradas foram vendidas em minutos...as mais caras.
Abraço

Freackly said...

Deus me livre! Não gosto de frio! E não sei se gosto de neve... nunca vi mas deve ser bonito e encher o saco de quem mora nela. Achei legal a libertação dos anões porém não entendi pq pegavam os papais noéis... parecem anões mesmo esses bonecos...
Fre

celecelestino said...

Caramba , tão frio assim? às noticias que me chegam do meu vale , que deveria estar mais frio, não parecem tão dramaticas.
Eu sempre pensei que graças aos lagos e as montanhas que envolvem todo o frio não consegue chegar , dando um toque meditêrraneo .
Claro que nevou , espero que o gelo não faça estragos das oliveiras kkkkk

maray said...

sou a favor do sequestro dos anões de jardim! E das tartarugas, brancas de neve, imitações grotescas da venus de milo e que tais que infestam os jardins de classe média daqui. Sequestro e posterior aniquilamento. Pelo bem da estética geral.

De onde será que inventaram que jardim combina com boneco feio de gesso?? Eeeca!

Anonymous said...

Nossa! estou emocionada olhando essas fotos da Itália, logo você irá entender o porque ( ou porquê?).
Já não consigo nem lembrar como encontrei o seu blog, pois estava, na verdade, procurando algumas explicações sobre Grande Sertão Veredas, livro que estou lendo. Engraçado, não é mesmo? Mas, não importa, vou continuar olhando, me deliciando com as imagens e, lendo seu blog.
A presto.
Fatima

Ana Maria said...

Enquanto escrevo este comentário, cai uma chuva torrencial. Provavelmente vai alagar as ruas, fechar aeroportos, etc, mas é com muito alívio que recebo o aguaceiro. Está tão quente no Rio que não consigo sequer imaginar o frio que está fazendo na Itália. Parece que leio um livro de ficção científica. :-)

Vivien Morgato : said...

Adorei a libertação dos anões...rsrsr

Anonymous said...

Ciao Allan , felice di leggerti sul mio blog.
Un abbraccio.
Fatima

Daíza said...

kkkkk aqui também andaram 'libertando' papais-noéis mas demoramos a saber que o movimento era como aquele dos anões.
Milagre! Hoje tem um céu azulzissimo e um sol maravilhoso (que não esquenta, só ilumina). beijossss

Claudia Souza said...

Meu marido ja tinha me contado dessa Associaçao e eu achei fantastico! Divertidissima a idéia!E agora entendi por que esse ano tinha pouquissimo papai noel amarrado aos balcoes por aqui! Que alias eu acho de uma cafonisse imensa, mas... cada um com a sua cabeça. Pensei que era a crise, mas também nao to vendo nem sinal de crise, so' muita falaçao. Entao eram eles, os paladinos da liberdade dos anoes&afins! hahahaha Abraço, Allan!