Wednesday, March 07, 2007

Leitora

Loredana é uma daquelas leitoras que interage com o texto. Analisa, põe em dúvida, desconfia, relê e passa parte do dia ruminando a leitura matinal. Evita comentar; as outras pessoas não entendem ou não estão preparados à realidade das coisas. A realidade que Loredana enxerga tão bem. Se tivesse a oportunidade de encontrar-se com seus escritores favoritos, eles ficariam embaraçados com as observações sobre os pequenos equívocos e desatenções que cometem. Loredana tem uma mente treinada.

Segunda-feira é dia de muito trabalho, mas um dia perdido de leitura não se recupera, por isso o hábito de ler pela manhã. todos os dias, sorri, chora, discorda, analisa, questiona, mas toda manhã. Enquanto a mente de Loredana ora luta contra, ora a favor do que , seu coração perdeu todas as batalhas e se rendeu a Matteo, o jovem padeiro dos olhos negros.

Na manhã de terça-feira, mal acabara de ler e planejara tudo para o grande momento. Desceu do trem tão distraída que nem parou no pequeno bar da estação de Castel San Giovanni para tomar o cappuccino de todas as manhãs. Seguiu direto para o trabalho e passou o dia absorvida pelos seus planos.

Ao meio-dia comeu uma saladinha e tomou um suco de laranja em mesmo. Queria poder escolher uma camiseta nova e teria que se apressar para encontrar a loja aberta, antes da uma da tarde. Conhecia a paixão de Matteo pelo basquete e foi fácil encontrar uma camiseta do Lakers, que ela sabia ser um time dos Estados Unidos. A balconista ainda lhe perguntou de que cidade dos Estados Unidos era o time, mas a ela pouco importava. Deu de ombros, pagou e saiu sorrindo. Nem imaginava que Matteo era um torcedor do Chicago Bulls, time que cultiva uma longa rivalidade com o Los Angeles Lakers.

Quando pegou o trem de volta para Piacenza ainda digeria satisfeita a leitura daquela manhã. Consciente de que sua vida mudava a cada novo texto lido, ela dependia da leitura tanto quanto a leitura dependia dela. À noite, tudo seria perfeito, afinal ele era de touro, primeiro decanato. Combinava perfeitamente com ela. Mas Matteo havia decidido trocá-la por Francesca, aquela vaca da papelaria. Nem apareceria à noite. Um sms e tudo se resolvia com um texto breve. Melhor assim: não recebeu a camisa do Lakers nem a viu chorar a morte de Willy, o gato de pelúcia.

Definitivamente, naquela manhã tinham publicado o horóscopo errado.
.

15 comments:

~*Vica*~ said...

Se eu não conhecesse uma Loredana, ia dizer que essa tua história era muito inverossímil. ;)

D. Afonso XX, o Chato said...

Enveredando para a literatura?abs

Yvonne said...

A Loredana existe então. Tadinha dela. Beijocas

Manoel Carlos said...

Loredana ainda não descobriu que horóscopo é igual a mulher de vizinho, a gente dá sempre uma olhadinha, mas sabe que não dá certo.

fabiano ferreirinha said...

muito bom

literato!!!

literato!!!

ediney said...

eu leio pelo prazer e escrevo por necessidade...sei não leitoras e textos..viva la putana de la literarie

Ana Maria said...

os jornais sempre publicam o horóscopo errado. é batata!
pobre loredana.

COSTA said...

Vinicius de Moraes estava quase certo: "A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida". Mas que seria dos poetas e literatos sem o desencontro irreversível? É com a perda e a frustração que se tecem boas histórias. O final feliz fica para os contos de fadas: distraem, distraem, mas "são de fadas".

georgia aegerter said...

É por isso que eu nao leio horóscopo, kkkkkkkkkkkkkk.

denise said...

Allan, por pouco pensei que fosse uma história real. Pensando bem, quem disse que não é? Pelo menos esse aí ainda resolve tudo pelo sms, em um texto breve. Há os que simplesmente desaparecem.
Bela crônica. Se revelando, hein!
abraço, garoto

denise said...

Allan, vejo que tens um link da subrosa em inglês. Acho que aquele não é dela. Ela está de blog novo no Wordpress, bem aqui, sabia?
http://flabbergasted2.wordpress.com/
Nao entendi direito, mas tá lá.
abraço, garoto

Meg said...

Allan,
muito obrigada pela sua elegãncia em colocar meu endereço novo. Estou aqui, agora.
Dê um beijo a Denise, não dá para ir até lá com ela, não que eu fosse exp´licar, é doloroso demais, mas lá no meu blog, um novo, nova vida, há um post chamado "RECOMEÇAR".
Obrigada por não ter retirado meu link.
---Bem, isso é uma coisa, no proximo commnet falarei sobre seu post
beijo
]Meg

Maria Elisa Guimaraes (Meg) said...

Allan: quanto ao seu post.
Parabéns por enveredar, com muito muita destreza, pelos caminhos literários.
E a técnica é importante. Como já se disse: Literatura não é noticia.
Gostei muito desse seu exercício.
Mas não deixe dos pratos maravilhosos.
beijocas, querido!!!!
Una bela settimana!

Guto Melo said...

Ou então ela não leu o horóscopo do ascendente.

nora borges said...

Que bom!
Escrevendo mini contos, Allan?
Faz tanto tempo que ñ venho aqui, né?
Mas volto sempre, vc sabe.