Thursday, June 22, 2006

Não Adquira os Vícios Locais


Eu sei que ninguém pediu a minha opinião, mas acho que a situação pode ser avaliada sobre outra ótica. Isso não quer dizer que eu possua a solução, é somente o meu ponto de vista. Vejam bem que não estou querendo ser redundante, mesmo concordando com o que a maioria pensa sobre o assunto, mas não posso me eximir evitando me expor. Até porque, cada um é livre de pensar como quiser, portanto ninguém precisa concordar comigo. Eu acho…

– …?

Sobre o que vocês estavam discutindo mesmo? Esqueci…

***

A mania que alguns italianos têm de desculpar-se e justificar-se por antecipação é realmente irritante. Tanto quanto de ser agressivo ao extremo, prerrogativa aparentemente reservada a certos jornalistas e alguns VIP. Nãomeio-termo. Existem aqueles que não conseguem emitir a própria opinião sem agregar umtalvez seja somente o meu ponto de vista…” e existem os que agem como donos da verdade.

Ganhar no grito é um hábito cultural longamente cultivado. Quando faltam argumentos ou paciência, a tendência é gritar. E, se confrontados, costumam alegar que tratam todos de forma idêntica. Quem age assim nem percebe o quanto tal afirmação tem de falso. Ninguém trata o padeiro, a própria mãe, o gerente do banco e o policial que saca o talão de multas da mesma forma.

Uma boa regra é: trate a todos como espera ser tratado. Caso seu interlocutor reaja de modo intempestivo, esclareça que é possível adaptar seu comportamento ao dele. Funciona na maioria das vezes.

A arte de gesticular torna o discurso italiano teatral e algum estrangeiro pode sentir-se agredido, mas comer em uma trattoria de Roma em meio ao caos festivo de gestos, gritos, sorrisos e músicas é uma experiência mágica que entusiasma até o mais sóbrio samurai. Contudo, funciona em Roma.

Cada cultura possui seus próprios tabus, certezas, superstições e padrões de comportamento mais ou menos aceitos pela comunidade, mas não vale a pena deixar de se assustar com o hábito local de assoar o nariz em qualquer lugar, inclusive à mesa.

Adapte-se. Mas sem camaleonismos.

.

18 comments:

Palpiteira said...

Allan, vc faz com que tenhamos vontade de ir para a Itália.

AnaBettaBlue said...

pois agora está explicado: a mania que a grande maioria da minha família tem de se explicar antes de começar a falar... e essa coisa toda de ganhar no grito e assoar no nariz em qualquer lugar. tudo isso sempre foi comum pelas bandas italianas da minha casa.
agora achei o ponto que faltava.
é tudo culpa dos romanos. :)

ah... que vontade de estar aí!

beijos!

Sandra said...

Grande desculpa para minhas manias... Sou bisneta de calabreses... Mas que somos iguais (ou bem parecidos) com eles, somos!!! Lembro de um velho, em Milão, brigando com o motorista do ônibus só porque eles parou 2 minutos na frente da loja... Cômico!!!!

Beijão

Cris Bomfim said...

To adorando estes posts.

Claudio Costa said...

Não sei se devo dizer que adorei este post, se bem que sempre adoro seus escritos. Mas se disser que adoro este, os outros podem ficar com ciúmes, ou post não tem ciúme? Não quero ofender os outros, mas este foi bom demais. Aliás, o anterior, idem. Ou melhor, todos. Mas deste eu gostei...

Claudio Costa said...

Não sei se devo dizer que adorei este post, se bem que sempre adoro seus escritos. Mas se disser que adoro este, os outros podem ficar com ciúmes, ou post não tem ciúme? Não quero ofender os outros, mas este foi bom demais. Aliás, o anterior, idem. Ou melhor, todos. Mas deste eu gostei...

Flavio Prada said...

Ai que saudades da Italia! Qualquer dia destes eu vou até lá. Mais uma coisinha. O doutor Claudio está um pouco confuso. Deite naquele divã ali doutor e conte-me tudo.

Mineiras, Uai! said...

Bacanas essas particularidades culturais, né Allan? Assim como vi outro dia um mineiro que estava morando na Bélgica e a maior frustração dele foi assistir ao jogo do Brasil X Austrália lá, e ninguém comemorou (ou mesmo assistiu) aos gols...
Conta mais aí sobre essa sua experiência de ver a Copa na Itália!
Beijo
Ana

Paulo Nunes Jr said...

Engraçado né Alan como uma coisa pode ser bonita e feia ao mesmo tempo, dependendo se você está dentro ou fora. Essas características culturais podem até ter seu charme, nos livros, nos filmes, nos contos e nas experiências ancestrais dos parentes vindos da botinha que ouvimos lá no Brasil!!
Quando se está aqui e vive essa mesma realidade a coisa não é tão bonitinha e engraçada não!

HAI CAPITO???
MA TU SEI UN COGLIONE!! MA CHE CAZZO FAI?

Ciao, ah ed scusate, ma ...!

Roberta de Felippe said...

Você sabe que eu adoro seus textos e sua forma de se expressar, mas têm vezes que venho aqui e fico repensando minha decisão de mudar de vez para a grande bota. Aliás, o Flavio já disse que "tá liberado"... Você também vai aceitar minha visitinha? Hahaha... Tanti baci, carissimo.

luma said...

Allan, não tenho paciência. Gosto de chegar logo ao ponto e essa lenga, lenga de alguns italianos chega a ser um porre. Quanto ao grito, isso é inerente à muitos povos. O Alemão por exemplo, você só o vence, se for no grito! (rs*)
Boa semana! Beijus

Yvonne said...

Eu adoro essa maneira de ser do povo italiano. Falar gesticulando e na base do grito é um charme. Bom, na realidade eu nunca participei de uma conversa, talvez esse seja o motivo de eu apreciar, rsrsrs. Beijocas

SACANITAS said...

eu que o diga. avos italianos!

domingo em familia com muita gritaria, comida em excesso, musica e alguns dedos no nariz!
kçlsdakdada

beijos

Alline said...

Ai, ai, assoar o nariz a todo tempo me deixava sempre aterrorizada. Não acostumei com isso não...mas tb fiquei pouco tempo! Acho que se ficasse mais um ano era capaz até de eu adquirir o hábito (ECA!).
Baci!

Milton said...

Assoar-se na mesa? Credo! Gritar? Que saco! Como eu ia dizendo, não adquira os vícios locais, Allan!

Pelamordedeus.

Claudia said...

Allan,
Foi aqui no seu blog q eu vi uma vez uma lista de codigos numericos para inserir simbolos?
Lembro q vi isso em algum blog, so nao me lembro qual...
Claudia

Alessandra Colla Soletti Tussi said...

Ah,
agora me entendi melhor, bem como a minha família também!
Um dia também estarei na Itália! Baci

Marta said...

Allan,
nem sempre venho aqui, mas quando venho nao consigo deixar de te cumprimentar pelo post!
Até hoje eu nao me acostumei com essa coisa dos italianos de assoar o nariz em qualquer lugar! Me da nos nervos!!!!! E olha, que sou uma pessoa tranqüila, acho ;)!
E sempre, que um fala muito alto junto de mim peço para que abaixe à voz! 11 anos de Itália, mas tem essas e outras coisas, que com certeza nao vou e nao quero me acostumar nunca!
Marta