Monday, April 14, 2014

Pizza e Máfia



A semana passada foi marcada por notícias que se repetem, se repetem, se... Mas que pouca coisa mudam.  Quatro grandes expoentes da política italiana foram manchete na página policial.

Clemente Mastella e a esposa Sandra Lonardo (e mais 16 pessoas) serão processados por associação criminosa. Mastella é líder do Udeur, partido que gravitava entre as forças do poder, sem se importar com ideologias. Foi ministro do governo Berlusconi (de direita) e do governo Prodi (de esquerda). Atualmente é deputado no Parlamento Europeu.  Em 2008 a esposa Sandra Lonardo era a presidente da região Campania quando iniciou-se o processo contra eles. Mastella, então ministro da Justiça de Romano Prodi, pediu demissão e acabou gerando a crise que derrubaria o governo. Parece que dessa vez o processo vai em frente. (AQUI)

Roberto Formigoni, senador, ex-presidente da região Lombardia,  teve suas contas e bens bloqueados pela polícia financeira (Guardia di Finanza), que tenta reaver a soma de quarenta e nove milhões de euros, valor que Formigoni teria amealhado com a corrupção durante o seu governo. Ele se defende, afirmando uma penúria de dar dó. (AQUI)

Marcello Dell’Utri, ex-deputado e ex-dirigente da Fininvest, não deve ter recebido muito bem o aproximar-se da decisão da Corte de Apelo, pela sua condenação a sete anos de prisão. Tanto que fugiu. Ele é acusado de ser o elo entre Berlusconi e a Máfia. Acabou sendo preso em Beirut, interceptado através do celular e do cartão de crédito. Tenho a impressão de que irá passar os próximos sete anos assistindo a filmes policiais. Aqueles que ensinam que a primeira coisa a se fazer em caso de fuga, é livrar-se de celular e cartão de crédito. (AQUI)

Silvio Berlusconi, que dispensa apresentações, condenado a quatro anos por fraude fiscal, poderá cumprir a pena prestando serviços sociais. É uma meia vitória. Diferentemente dos processos anteriores, nos quais contou com a lentidão da justiça italiana e a argúcia dos advogados, não conseguiu esticar o processo até a prescrição penal. Pelas contas dos opositores, falta a justiça julgar outros trocentos processos contra o perseguido Berlusconi. (AQUI)

Sim, eu sei que a corrupção está restrita à região entre Longyearbyen e Puerto Williams. O que incomoda é a capacidade de corruptos e corruptores em se reproduzir e da impunidade para esse tipo de crime. A maioria dos culpados não paga nunca. E continuam a ser eleitos. Ver um ou outro, ocasionalmente, ter que responder penalmente, acaba sendo um consolo pífio. Melhor a pizza.

E você aí chateado com os ataques ao partido do coração...
.

10 comments:

myra said...

nunca vai acabar a corrupcao e os politicos como Berlusconi e CIA! merda!!!!

denise rangel said...

O poder corrompe. Cada vez mais me convenço disso. Medo.
Uma boa semana pra ti, garoto

Lúcia Soares said...

Se o cenário aí é este, imagina o nosso, aqui no Brasil.Um caos total, e a impunidade é a regra. A cada dia o cordão dos corruptos aumenta mais.
Boa semana, Allan.

Thais Miguele said...

Parece o Brasil... hohoho.

Nely L. said...

engraçado os comentários sobre o Brasil. no que se trata de corrupção, quando o Brasil vem com a farinha, a Itália já vem com a farofa pronta!
Com o perdão da palavra mas...che schifo!

Luma Rosa said...

Oi, Allan!
Se os políticos corruptos fossem penalizados como acontece no Japão, seriam exterminados? Acredito que não pois já penso que a falta de caráter vem de berço - não é o poder que corrompe - você tem que ter o pé na lama para querer se lambuzar ou simplesmente lambujar :)
Beijus,

Bah said...

Gente, tá quase tão ruim quanto aqui kkk a diferença que aí ainda é um país civilizado pra morar.

Kisu!

Anonymous said...

Uma parte dos italianos é arrogante e mafiosa. Roubam às escondidas e se acham espertalhões (furbetti).

A Itália é linda, o que estraga é essa casta que acredita ser dona do mundo. Felizmente não são todos assim.

Michele Aguiar

Dayanne Guerra said...

Eu tenho pensado muito sobre isso ultimamente.. por enquanto minha conclusão é que os nossos "queridos" políticos são um exato reflexo do povo que ele representa. Queremos que políticos não sejam corruptos mas somos assim diariamente e ainda justificamos com um jeitinho de fazer as coisas (erradas). Claro que existe uma minoria pensante que não é representada por estes políticos nem por este povo. Cabe a nós ser melhores e fazer esta minoria ser grande e assim poder ter representantes decentes. Por enquanto é isso...

Claudinha ੴ said...

Parece-me que a 'sujeira' está em todo o planeta! Socorro!
Abraço!