Sunday, January 27, 2013

O avesso do contrário

Tem alguma coisa errada com essa sociedade. O cidadão foi julgado culpado de extorsão e começou a gincana da captura dele. De um lado, as polícias de metade da Europa; do outro, milhares de fãs que torciam e deixavam mensagens de incentivo Internet afora. Onde foram parar os mocinhos que salvarão o mundo?

Noutro dia me surpreendi lendo o depoimento de um artista que admiro: “Além disso, o cara é muito arrogante. Como não gostar de um cara assim?” Concluí duas coisas: a primeira, que na realidade admiro a obra dele, e não o artista em si; a segunda, que subestimei a minha capacidade de me surpreender.

Anos atrás escrevi sobre o efeito nocivo dos telefones celulares nos jovens. Bem, os jovens cresceram e contaminaram todo mundo. A vida virtual tornou-se mais importante que a vida real (aquela em que as pessoas devem sentar em redor de uma mesa para fazer as refeições, dormir, lutar para melhorar e – quem sabe – comprar novos celulares), e é por isso que ela deve poder ser vasculhada e divulgada. Certamente vai estar longe da vida real escondida a sete chaves e sem conexão.

 Mensagens curtas, artigos de jornal curtos, matérias de TV superficiais. Muitos SMS, compartilhar, curtir, smiles. A vida telegráfica para poder se multiplicar em todos os lugares onde houver alguém disposto a retribuir o breve e fútil contacto. E pensar que são poucos os que hoje ainda sabem usar o código Morse.

Pensei em criar um site para desensinar a vida como ela é. Mas me dei conta , desaprendendo, as pessoas não iriam conseguir acessar o site e desanimei. Como desensinar de maneira contínua? Acabei indo parar na desciclopédia e pensei: “quantos malucos acabam levando a sério textos irônicos como este?” clique aqui

Quer saber? Melhor deixar tudo como está e esperar para ver aonde esse mundo vai parar. Quem sabe dou sorte e não estou mais aqui para descobrir a resposta?

12 comments:

X.F. said...

Eu tento achar que algumas coisas se salvam... E perplexidade com a realidade, com os tempos, com o comportamento dos jovens, etc é um fenomeno registrado desde a grécia antiga! É um exercicio saudavel -apesar de angustiante - por as coisas em perspectiva .... O que acha?

Inaie said...

querido, ativei o 3g do meu celular. demorei, briguei, resisti o que pude, mas finalmente sucumbi. Agora passo o dia lendo as mensagens na telinha. É e mail, mensagem no blog, tudo ao alcance da mão. ai, ai...


Por falar nisso, será que vc não arruma um tempinho pra escrever lá no meu blog novo? Adorariamos te-lo como convidado do Gaiola das Loucas ( que sao as outras obviamente).

O "tema" do blog é "a primeira vez"...

Que vc acha?

bj

maray said...

eu tb tenho esta sensação de "desentendimento" das coisas. Exemplo: eu, que gosto tanto de andar a pé, mal consigo andar sem tropeçar, olhando pro chão sem parar. No entanto essa meninada, que vive plugada e de celular na mão, nunca olha pro chão. E não cai! Serão os celulares transparentes e eles estão vendo o chão? Serão protegidos dos deuses da modernidade? Sei lá. Eu tenho certeza que não vou entender a tempo. E meu tempo começa a escassear. Então paro de me preocupar. Uma típica atitude egocentrada de uma sexagenária ;)

Milena F. said...

Adorei a sua reflexão!
O que mais me surpreende são essas inversões de valores (quem é o heroi, o "mocinho" e quem é o bandido)...
Mas no mais, não sabemos ainda se as novas praticas vieram para perturbar ou simplesmente mudar a forma de viver... Quanta coisa no passado foi vista como negativa e hj jah não imaginamos a vida sem...

Mas por enquanto vou seguir seu conselho ao final do texto e deixar as coisas como estao e ver onde vai parar... Mas espero estar por aqui para tirar uma conslusão de tudo isso!

Elvira said...

Apesar de não ter internet no celular, acho super prático toda essa tecnologia.
O problema é quando nos tornamos escravos dela e passamos a não saber viver sem tudo isso ao nosso redor.

Achei aquele texto da desciclopédia uma loucura. Hahaha. Acho que muita gente se inspirou nele para abrir a própria igreja.
Bjs.
Elvira

myra said...

amo desde que estou sozinha, o Internet!!! assim me comunico mais rapidamente, mas jamais tive um cellular:) bem acho melhor, esperar e esperar nos 2 sentidos..ver que passa...
abracos

CidadaniaItaliana said...

É a internet afastando as pessoas que estão próximas e aproximando as que estão afastadas... volta e meio vejo casais jovens que não conversam mais, cada um com seu celular a nevegar pela internet...

mauro m said...

" Vida telegráfica" boa expressão !

Os jovens perguntarão : " - O que é telégrafo ? "

Lu Guedes said...

Meu caro, dias desses cometi "suicidio virtual". Cansada de uma quantidade de coisas absurdas que aconteceram comigo no mundinho virutal limitado e chato - deletei o meu email, mudei de perfil no facebook onde tinha sei lá eu quantos amigos, apaguei uma grande quantidade de perfis e uma pessoa me disse "como você teve coragem? É como deixar de existir?" levei alguns segundos para recuperar o fôlego e dar uma resposta.
Outro dia no cinema, duas pessoas ao meu lado sairam reclamando que não conseguiram entender o filme. Elas não saiam do bendito celular. O tempo todo no facebook. No restaurante a mesma coisa. E ainda há pouco durante o café uma louca reclamou que eu e o Marco não paravamos de conversar. Tiramos sarro dizendo "só falta ela querer que eu te envie um sms" - você não vai querer saber a resposta dela. kkkkkkkkkkkkk

Bem, vou ali viver minha vidinha mais simples e agradável. Ando com uma inveja danada de quem vive numa ilha deserta sem todas essas "comodidades"...

bacio

Georgia Aegerter said...

Allan, esta semana mesmo no Facebook compartilhei um video que diz tudo dessa nossa geracao...meu filho por exemplo por causa da telinha engole e come palavras ou grune alguma coisa que nao se entende...

As vezes tenho a impressao que nao adianta muita coisa qdo a onde é enorme ela afoga tudo por onde ela passa.

Bom domingo.

Georgia Aegerter said...

corrigindo: qdo a ONDA é enorme ella afoga...

denise rangel said...

Allan, às vezes parece que as pessoas estão tão desacreditadas do poder vigente que torcer pelo bandido seria uma catarse. Quanto a viver conectada, adoro, e fico ilhada sem meu celular com 3G. O que falta, penso eu, é as pessoas utilizarem a tecnologia para o que é útil e não para frivolidades. Abraço, garoto