Saturday, May 05, 2012

Natureza artificial


Cada um é livre de fazer o que bem entender com o próprio corpo, desde que a lei permita e não incomode ninguém. Cirurgia plástica corretiva é bem aceita e até estimulada, mas quando o assunto é cirurgia estética as opiniões divergem e divergem muito. Que malem querer sentir-se melhor, preocupar-se com a aparência e esconder o inevitável efeito do tempo? Que cada um faça o que bem entender, se for para melhorar a qualidade de vida.

O parágrafo acima reflete – em parte – o que penso sobre a cirurgia plástica, além de ser politicamente correto, bem no etilo zen destas cartas. Meu único porém é quando a busca pela estética ultrapassa os limites da razão e torna-se compulsão. E os exageros.

Não sei como anda a moda da cirurgia estética no Brasil, mas na Itália os limites desapareceram. Não que rugas sejam bonitas (esteticamente falando), mas inspiram respeito e sabedoria, insinuam sobrevivência. Lábios falsamente carnudos, maçãs do rosto que podem ser confundidas com melancias, seios exagerados e bumbuns indelicados desfilam em fisionomias irreconhecíveis. Famosas e menos famosas (e alguns famosos e menos famosos) vêm transformando a classe médica que cuida de cirurgia estética na Itália em uma casta acima das crises financeiras e acima da ética, considerando a quantidade e a qualidade de alguns resultados. Em alguns casosque começam a ser muitos – a coisa funciona como anti propaganda. Algo como: “Goste de você como você é para não ficar assim.”

Conheço pessoas que melhoram a autoestima depois de uma pequena correção; fico feliz por viver numa época em que a medicina é capaz de proporcionar uma melhor qualidade de vida a quem busca solução para problemas que aos outros podem ser invisíveis, e ainda não me acostumei com as minhas rugas, mas continuo firme na minha convicção que é melhor descobrir qualidades desconhecidas que defeitos escondidos. Quando alguém comenta que envelheci, respondo alegre: “Ainda bem. Afinal, a alternativa ao envelhecimento nunca me atraiu.”

PS – Sim, bumbuns indelicados 
.

9 comments:

myra said...

jamais pensei em fazer cirurgia estetica!! nada adianta...idade é idade!pode arrumar tudo menos as maos e ai se ve a idade sempre!
bjos

Anonymous said...

tio, que diferenza tem entre bumbum indelicado e bumbum delicado?

pedroluis

maray said...

quando me casei, maridão era fissurado na Marilyn e eu era morena. Depois a moda foi Loren e eu era Twiggy, agora a moda é bundão e eu estou mais pra tábua, além de ruiva. Ainda bem que eu já deixei de perseguir a moda faz tempo. Se ela quiser, que me persiga: sexagenária ruiva com bochechas de buldogue...mas feliz da vida!!

Menina no Sotão said...

Aqui a moda e implante de cilicone. Bundas e seios enormes. Estranhos. Enfim, não dou a mínima. Eu não faria, mas não tenho idéia a respeito porque não dou a mínima. Gosto de mim do jeito que sou e não mudaria nada...

Bacio

Inaie said...

eu sou super a favor das plasticas. peito muito grande? dimuniu. Muito pequeno? aumenta um pouco...

mas tb sou contra as mulheres ( e homens) que acabam com a cara plastica, a boca que parece um bumbum, o rosto que nao mexe nem a pau.

E tenho visto cada vez mais essas aberracoes no dia a dia.

Que triste!

Thais Miguele said...

Pena, não conheci abrir o vídeo. Mas acho que sei do que vc está falando. Não sou contra plásticas, meu ex narizinho de tucano pode atestar. E bem acho que o dia, que a gravidade bater de vez, pode rolar um siliconizinho. Nesse momento, estão aparecendo as ruguinhas em volta dos olhos. É ruim, porque a maquiagem meio que embola, e agora não passo mais por menos de 30. Por outro lado... elas são tão simpáticas. Ainda tô bem curtindo o novo visual.

Lili Detoni said...

Ciao, Allan!!!
Realmente, a coisa está saindo do controle! Aqui no Brasil os seis estão parecendo bumbum!!! Exagerados e, na minha opinião, muito feios... Eu tenho descoberto as rugas dos 50 anos, mas, tenho tentado incluir essas novidades no meu dia a dia, me adaptando ao estilo mais básico com as roupas, sem muita peruagem e com mais elegância. Já fiz plástica de correção nas pálpebras, mas, não foi por estética e sim por necessidade. É claro que a idade nos trás certos incômodos na aparência, mas, sinceramente, tenho ouvido muitos elogios por conta de ser uma cinquentona! Adoooooro! (kkkkkkk!). No mais, acho que a cirurgia deve ser feita sim, desde que as pessoas não percam a noção do ridículo. :)
Ah! Obrigada por ter passado no meu blog pra visitar minhas galinhas! E, em setembro passarei em Piacenza!!!! \o/
Abraço do Brasil pra vc e sua família linda que conheceri em breve!
Lili

Sissym said...
This comment has been removed by the author.
Sissym said...

Allan, concordo com voce que pequenas intervenções esteticas possam ser aceitas, mas nada que ultrapassem o bom senso.

Eu tenho visto labios desfigurados, horriveis, como pode algo assim?! Ou os medicos são PESSIMOS ou está faltando alguem para dar cartão vermelho!

Eu desejo fazer uma correção, mas como disse, é uma correção que vai me fazer o bem. Nada que vai interferir e mudar o que sou.

Beijos