Sunday, November 06, 2011

Chato Gastronômico

Hum… Tá faltando uma pitadinha de syrkol seco.

Diachoé syrkol?

É um fungo que nasce sobre as raízes dos carvalhos no oeste do Canadá. E .

Pra mimbom assim mesmo.

Algumas pessoas têm a capacidade de estragar momentos mágicos com um único comentário inocente. No início você nem percebe, mas pelo terceiro tempero que falta, a luz vermelha que identifica a chatice começa a piscar e não para mais. Certa vez vi uma mulher jogar os talheres no chão e – visivelmente enraivecida – comer um filé com as mãos. A cena, ao contrário do que se poderia imaginar, provocou um alívio geral no restaurante: o acompanhante dela tinha passado o jantar inteiro corrigindo-a e se lamentando de tudo.

À mesa corremos o risco de deixar transparecer que o processo de civilização aindamuita estrada a percorrer. Ou muito feijão com arroz a comer. Comportar-se de maneira educada diante da comida imóvel é – no mínimosinal de superioridade e inteligência, mas os exageros provocam risinhos pelas costas e escárnio dos últimos a sair. Ser diplomático não chega a salvar a vida de ninguém, mas pelo menos garante-se o convite para o próximo jantar. Na Itália se diz: “chi si acontenta, gode”; ou seja, quanto mais exigente for o paladar, mais difícil será satisfazê-lo. Sou um que se contenta com a simplicidade e vou elogiar o seu jantar. Convide-me e comprove.

algum tempo uma mania que se alastra rumorosamente pela Itália vem devorando a minha paciência: os falsos especialistas. Achar que todo italiano é um bom gourmet e um sommelier de classe é como acreditar que todo brasileiro é bom de bola e sabe fazer a melhor caipirinha do mundo. Invariavelmente, o chato gastronômico é a mesma pessoa que comenta sobre a gravata errada do personagem no melhor do filme e te faz perder o fio da meada. Ou seja, chato é chato em qualquer ocasião, mas quando o chato de plantão é, também, um gastrônomo farsante, o risco de estragar o meu jantar e a minha paciência pode me levar a usar o vidrinho de cicuta que trago sempre escondido para tais ocasiões.

Tudo isso como preâmbulo de um único pedido. Aliás, uma súplica aos mais exigentes: deixem-nos comer em paz! Ofereçam os vossos conhecimentos aos vossos semelhantes e riam de nós. Somos pessoas simples e não nos chateamos. [Sei que não estou sozinho nessa mesa.]

Eu realmente me contento com pouco e não tenho um paladar refinado. Aprecio comida simples (elogio até salada de chuchu) e não tenho o menor interesse em saber que ingredientes compõem o prato que você me servirá. Sim, fiz muitos cursos com os diversos consórcios de produtos típicos italianos, Slow Food, Piacenza Food Valley, escolas de hotelaria e tantos outros organismos, mas aprecio quem aprecia a simplicidade. Ostras cruas? Basta que sejam frescas, sal e limão. Quem quiser algo mais sofisticado, quejantar no oeste do Canadá. E fique por .


PS – Aldo, vivo sonhando com gnocchi de mandioquinha da Virgínia.
 .

14 comments:

myra said...

como sempre otimo, e cheio de uma ironia gostosa, tao gostosa como as comidas simples! estou com voce:)))
um grande abraçO,

Luciana Nepomuceno said...

Endosso a campanha: "deixem-nos comer em paz! Ofereçam os vossos conhecimentos aos vossos semelhantes e riam de nós. Somos pessoas simples e não nos chateamos"

maray said...

sabe, com essa mania, antiga aliás, de restaurante chinês e japonês por aqui, eu sempre passei mal. Não, não é que não goste da comida, ao contrário! É que não consigo comer com pauzinhos e todo mundo em volta ficava "tentando" me ensinar. Um saco! Até o dia em que resolvi mandar tudo às favas (ou aos sushis) e agora sempre peço ao garçon garfo e faca. E como muito bem! E os cães continuam ladrando, mas minha caravana passa.
bjs

Lili Detoni said...

Adoreeeeeeeei!!!!! É isso mesmo!!!! Comer é tudo de bom, e quando comemos coisas gostosas e simples, parece que o mundo se transforma! Em breve estarei na Itália de novo, e com certeza aquele nosso café será ainda melhor, pois estarei muito à vontade com o "simples", ok? Abraço do Brasil!!!!
Lili.

Lili Detoni said...

Adoreeeeeeeei!!!!! É isso mesmo!!!! Comer é tudo de bom, e quando comemos coisas gostosas e simples, parece que o mundo se transforma! Em breve estarei na Itália de novo, e com certeza aquele nosso café será ainda melhor, pois estarei muito à vontade com o "simples", ok? Abraço do Brasil!!!!
Lili.

Thais Miguele said...

Bife e batata frita neles!!!!

Sissym said...

allan,

Não acredito?! Transportaram a perereca!!!!! rsssss Que fofo!

Beijos

Luma Rosa said...

Touchè!! Chato Gastronômico é o pior, ninguém convida e ele só tem amigos, se ele for o chef. Daí a gente aproveita e bota defeito!!
Allan, não tenho nada contra chuchu e gosto muito de uma saladinha com bastante limão.
Meu gosto culinário ou paladar, ainda é infantil. Gosto de comidas não muito cozidas para o sabor permanecer, algo crocante e só.

Vim lhe fazer um convite, apesar do adiantado da hora!
Amanhã, dia 08 de Novembro, acontecerá a 3ª Edição do BookCrossing Blogueiro e nessa postagem faço a chamada. Gostaria de contar com a sua presença e/ou divulgação. O pontapé do BB é amanhã, mas poderá participar quando quiser!
No blogue explico porque a chamada ficou para a última hora.
Boa semana!
Beijus,

Georgia said...

Allan, ótimo texto e tô aqui me lembrando de algumas pessoas que sao mestres cucas em desmanchar o prazer das pessoas.

E quando quiser venha comer nossa Paella. Serao bem vindos, rs.

Abracos

Anonymous said...

o tio, voce eh chato mesmo, hein?

pedroluis :P

Nennafalchi said...

Oi Allan,
Gnocchi de mandioquinha ainda não provei. "Ainda" que durará até depois da feira. rs

Quando descubro um chato gastronômico me afasto. nada pior que alguém que sente prazer em ser um estraga prazeres.

Mariangela said...

Genial!!! Chato é sempre chato,em qualquer esfera.E o chato dos vinhos??Também não destoa muito do gastronomico.Abraço!!

Anonymous said...

Noh......dois anos de Italia ja me bastam pra estar de saco cheio dessa mania que eles tem de corrigir tudo que nòs brasileiros fazemos. Nao os acho chatos sò na gastronomia nao e embora eu adoro estar aqui, ter um marido italiano e tudo mais a bastante tempo decidi que nao cozinho mais, pois nossos doces sao doces sempre demais pra eles. Leite condensado era usado na guerra como suprimento e jamais pode ser usado para doce.......Aff...me irrita profundamente embora eu reconheça que aprendi demais com eles.Dou o braço a torcer para eles na arte de comer, mas a caracteristica dessa superioridade deles è exacerbada em tudo por tudo. Nao sò no comer. Aff....sao os proprios googles ambulantes. Sabem tudo. Fazem tudo. Dominam a arte de tudo....Aff....tem dias que tenho vontade de mandar todo mundo calar a boca,porem aprendi que pra se ganhar aqui o melhor ainda è eu calar a boca e dar uma daquelas que pensa que "Conversa de bebado e puta nem o diabo escuta".....risos....e tenho dito.

peri s.c. said...

A gastronomia
e
a enologia
caminham para
a alquimia .

Uma perfeita chatologia .