Monday, March 21, 2011

Uma Mulher para Admirar e Respeitar

A Borboleta convidou-me para escrever sobre uma mulher para admirar e respeitar. “Tarefa difícil”, alertei, pela quantidade de homenagens e pela qualidade das homenageadas. Além disso, não gosto de listas de preferências por acreditar que sejam mais restritivas que enaltecedoras, por duvidar da minha memória e para evitar sentimentos feridos.

Como o convite não previa declinação, optei por relatar o caso de alguém que conheci há muitos anos e que me comoveu. O resultado foi publicado no blog Eu Sou a Graúna.

Que em breve não haja a necessidade de um Dia Internacional da Mulher. Até lá, que o mês de Março traga sempre bons exemplos e novas atitudes.
.

9 comments:

myra said...

so para te mandar um abraço e desejar que realmente chegue a tranquilidade e a paz no mundo inteiro!

Menina no Sotão said...

Pronto: você conseguiu. Fiquei curiosa. rs Voando pra lá agora mesmo. bacio

Jussara Gehrke said...

Allan,

gostei da história da manicure-faxineira-engenheira, incrivel mesmo, admirável, acho que também não vou mais esquecer da Marilene!

beijo
Ju

Borboletas nos Olhos said...

Meu querido,
quase, quase, quase senti culpa pelo "convite que não previa declinação". Sou assim tão ditataorial, quase me inquiri. Eu disse quase porque o resultado foi comovente. Gostei tanto da Marilene, que história forte, doce e humana. Você atingiu o cerne do que eu pretendia. Que não tenhamos dias da mulher, mas um viver de reconhecer e respeitar o Outro, do gênero que for. Outra vez, grata. E, calro, antecipo que haverão outros convites...espero que sempre sem sem declinações ;-)

Inaie said...

vou la dar uma espiada no texto...

:-)

Thais Miguele said...

Oi, Oi! Quer dizer que vc está na Itália, mas faz contato com Angola? Precisamos trocar cartões!. Eu pretendo ir pra Itália no próximo ano e agora começo a ler seu blog sempre pra saber tudo o que há por aí. Licencinha, que eu vou lá ler a história da Marilene.

Thais Miguele said...

Poxa... nem parece de verdade a Marilene tamanha a força de vontade! É nessas horas que eu vejo como sou reclamona...

Anonymous said...

Allan, quando brincam por eu ser pai apenas de mulhers, digo que cada um faz o que gosta.
O caso de Marilene é comovente, provaveelmente os irmãos dela deram um jeito de viverem do "Bolsa-Família"
Manoel Carlos

Sissym said...

Olá Allan,

Estou um pouco parada, porque estive de mudança e internet, telefone, etc.. não foram instalados ainda!

bjs