Sunday, December 19, 2010

Insalata di finocchio e basilico - salada de erva doce e manjericão

Curioso como alguns costumes fazem parte do dia a dia de alguns povos e passam despercebidos. A culinária mediterrânea ganha fama no mundo inteiro, incentivando as pessoas a uma dieta mais sadia e mais simples, sem, contudo, informar corretamente sobre a preparação dos alimentos. Simplicidade é a palavra que melhor define a regra básica para usufruir da dieta sem ter que passar horas na cozinha. Salsão, cenoura, louro, sal e cebola são os ingredientes que compõem a receita do tradicional brodo italiano. Os legumes devem ser cozidos inteiros, só com a cebola cortada à metade, em uma panela d’água. Esse caldo será a base para muitos pratos, mas os legumes serão descartados ao final. Curioso, não?

Outro vegetal importantíssimo na dieta mediterrânea é a erva doce, que na Itália ganha o nome de finocchio. As variantes de pratos são tantas que é possível escrever uma enciclopédia só com as receitas. Salada de erva doce é consumida mesmo durante o inverno; é algo que não pode faltar em qualquer casa italiana.

Insalata di finocchio e basilico



Erva doce
Manjericão
Azeite extra virgem de oliva
Pimenta do reino
Torrone

Lave algumas folhas de manjericão.



  Limpe a erva doce, corte os talos e o fundo. 



Corte-a ao meio. 



  Com a ponta de uma faca, retire e coma o miolo da erva doce (encontrá-lo na salada pode ser desagradável e quem cozinha merece certos mimos).



Corte a erva doce em fatias bem finas.





  Misture algumas folhas de manjericão e cubra tudo com um fio generoso de azeite de oliva.


Uma pitada de pimenta do reino. Sem sal.



Deixe descansar por uma hora e sirva.


Use o torrone como sobremesa. A refeição ficará leve, como leve deve ser a vida de todos os dias. Água de filtro de barro.

11 comments:

Elvira said...

Oi Allan.

Sabe... Eu não gosto muito de finocchio, não. Eu acho o sabor muito forte.
Talvez seja a falta de costume.

Bjs.
Elvira

Borboletas nos Olhos said...

Olha, isso é que eu chamos tortura, viu. Quanto mais simples uma receita mais frescos e de boa qualidade devem ser os ingredientes e, por aqui, tá difícil :(
Mas a finalziação foi perfeita e, essa, se eu pelejar ainda consigo: água de filtro de barro.

PS. Pena o correio daí ser assim tão, tão, tão estudioso...

Carla Guanais Branchini said...

Alan, adorei a dica! adoro erva doce. e adorei também a dica da sobremesa.. um docinho não pode faltar, ainda mais torrone...rsrs. bj

Jussara Gehrke said...

Allan, estou curtindo muito a mudança no blog, olha só, receitinha boa!! e ainda vc se revelando, eu não sabia dessa sua habilidade, muito legal mesmo! e as fotos estão ótimas, parabéns!

beijo
Ju

Jussara Gehrke said...

vou aproveitar e perguntar como vc gosta de preparar fundo de alcachofra?

Jussara Gehrke said...

ahhhh... mais um comentário: achei linda a presentação do prato, muito capricho no desenho parecendo um arabesco!

Inaie said...

Homem bom de cozinha e so alegria!!!

Adorei o post, mas nao curto muito salsao nao. Me deu uma saudade de comer flores de abobrinha...

Menina no Sotão said...

Olha, eu concordo com a dona Borboleta, isso é tortura. Fala sério. Meu estomago até se manifestou. ai ai ai
Pior que eu nem posso sair correndo atrás de uma erva doce agora. Que maldade da sua parte, mas no final da tarde passo no mercado e preparo minha insalata de finocchio.
Bacio caro mio

deco said...

HUm, salada é sempre bom!!!!!

Adoro torrone!!!!

Leila Silva said...

Hum, parece deliciosa.

Abraço e feliz natal.

Georgia said...

Eu adoro, vou fazer.

Valeu!!!