Tuesday, September 01, 2009

Férias das férias

Como eu já devo ter informado em alguma carta anterior, as férias na Europa são divididas em semanas por ano. Duas ou três no Verão (uma em Julho, duas em Agosto, por exemplo), uma outra durante o Inverno, para esquiar e outra semaninha entre um período e outro, que ninguém é de ferro. Dependendo do tipo de trabalho, de acordos sindicais, da carga horária – part-time ou jornada completa – e da quantidade de horas extras trabalhadas, o trabalhador acumulará, além dos dias de férias, horas de folga. Não é raro, portanto, que um italiano faça até seis semanas de férias por ano.

O problema das férias é sempre a volta. Quando acaba Agosto as estradas ficam congestionadas. Fico imaginando a paciência de holandeses, poloneses e demais turistas no funil viário das rodovias italianas. Como reagem os italianos, eu sei: férias. Pelo menos dois dias para descansar e se convencer de que a rotina profissional deve ser retomada.

Dos três cinemas no centro de Piacenza (oito salas, ao todo) dois fecharam na metade de Julho. Um deles reabriu sexta-feira, 28; o outro só reabrirá na próxima sexta-feira. O terceiro fechou do dia 3 ao dia 28, assim como a maioria das empresas. Mas é claro que parte do comércio só reabre mesmo no dia 1 de Setembro. Sabe como é, as férias acabam no sábado, dia 30 e o cidadão precisa de uns dois dias para se readaptar. Semana passada visitei alguns clientes e liguei para alguns fornecedores. Não consegui falar com ninguém que resolvesse. Só os subordinados voltaram ao trabalho, mas apenas para informar que “é melhor voltar na semana que vem, quando o chefe voltar”, ou “o ano só começa em Setembro”. Claro que se você estiver em férias o seu celular irá tocar e alguém, do outro lado, irá perguntar, indignado: “Como assim, na França?”

A verdade é que a vida só recomeça em Setembro, quando toda a preguiça será esquecida e a impaciência voltará a temperar as relações, num comportamento que funciona em sentido único. Ou seja, todos são impacientes com os prazos alheios, mas ninguém admite ser cobrado. Mas a verdade maior é que as coisas por aqui têm um ritmo diferente para acontecer. Diferente do meu ritmo, pelo menos. Uma negociação pode levar anos, num vai-e-vem de conversa mole que não leva a lugar nenhum. De repente, pimba! Tudo resolvido e eles querem tudo pra ontem. Afinal, o que você fez que não se preparou nesses últimos dois anos? Incompetência tem limite. Ou deveria ter.

E não venha com aquela lenga-lenga de que você acabou de voltar das férias e ainda não teve tempo de se readaptar.

4 comments:

QUINTEIRAS said...

Essa é a coisa mais difícil que acho na vida aqui rsrsrs O ritmo é outro mes-mo! Você descreveu super bem: demoooora depois é pra ontem. Eu AINDA sou pega de surpresa por essa coisa. Abração, Allan!

Lunna said...

Ah! Depois de ler seu post, cheguei a conclusão que eu mereço férias. rs
Beijos moço

Luma said...

Que povo enrolado!! Essa lenga-lenga dá mesmo preguiça!! Ou oito ou oitenta, como dizem. Prefiro que o ano comece em Fevereiro. Bom fim de semana! Beijus

Claudio Costa said...

Pois existem pessoas que ficam estressadas quando entram de férias: os workaholics que mergulham tanto no trabalho, "só pensam naquilo" e emburrecem quando "não têm nada para fazer". Morrem cedo: aí o descanso é compulsório e... eterno!