Sunday, June 03, 2007

Pontos da cidade

A Geórgia me passou a incumbência de escrever sobre pontos da cidade que eu gosto. Sou avesso a correntes, mas toda regra tem exceção. Esta é uma delas. Como já havia escrito sobre Piacenza e ando meio atarefado, resolvi republicar o post, mesmo que o período do ano tenha sido outro. Afinal, com o clima enlouquecido, nem faz diferença se é primavera ou outono.


------------------------------

Aproveitei a tarde de sol e, apesar do frio, saí para dar uma volta de bicicleta.


Na rua de casa, a uns cem metros, a chiesa di Santo Agostino, que foi desconsagrada depois que Napoleão invadiu-a com tropas e cavalos. Agora é um espaço para mostras e exposições.








Do outro lado da rua, os giardini di Napoleone, onde ele montou seu quartel-general. Volta para fazer outra foto na primavera e a palavra jardins ganhará outro sentido.






Segui pela Stradone Farnese (onde moramos) até o fim para observar a Lupa, cópia daquela famosa, de Roma. Mussolini presenteou-a à Piacenza em reconhecimento à importância da cidade nas guerras púnicas.



Chiesa di San Martino Episcopo, no centrão. Esse estacionamento foi o Foro Romano, berço da cidade.

Resolvi, então, mostrar a vocês uma parte da história que conta: chiesa di Santa Maria di Campagna, local de onde partiu a primeira Cruzada da história. Um policial não permitiu que eu ficasse no meio da rua com a bicicleta para fazer a foto, por causa do trânsito. Lembrei de Galileo e me conformei com essa perspectiva.


Voltei para o centro e passei em frente ao prédio dos correios. Mais à frente (onde bate o sol) a Piazza Santo Antonino. Reparem na arquitetura inusual do prédio


…E no que eu acredito ser a curiosa assinatura do arquiteto.


Na Piazza Santo Antonino, a basilica di Santo Antonino, impossível de ser fotografada de frente: a rua é muito estreita. A antiga basílica (século IV) em homenagem ao patrono da cidade perdeu o lugar de primeira igreja àquela da Duomo.





Saindo da
praça pela rua Giuseppe Verdi, o Teatro Municipale.









Sigo por uma rua estreita (todas são estreitas) para chegar à Piazza Duomo, onde a catedrale di Santa Maria Asssunta domina a paisagem. Ao lado, o Palazzo Episcopale. Reparem aquela sombra no meio da torre da igreja:





Na realidade é uma cela, onde eram colocados os presos mais rebeldes, em ocasião da visita de alguma autoridade (e naquela época todo mundo era autoridade). O preso ficava exposto naquela gaiola, morria, apodrecia e seus ossos podiam ser recolhidos após caírem no telhado e rolarem para o chão.





Aqui o Palazzo Episcopale em destaque.


Pego a Via XX Settembre até chegar à Piazza Cavalli, que italiano tem mania de chamar largo de praça. Na Via XX o trânsito é proibido inclusive aos ciclistas. O jeito é empurrar. A estátua do Farnese brinca de luz e sombra com o prédio da Banca Nazionale del Lavoro, que brinca de com a sombra do…





Palazzo Gotico, antigo centro do poder do ducado de Parma e Piacenza.

Ao lado do Gotico, naquele prédio laranja, ocre, salmão ou a cor que mais lhe convier, ofuscado pela luz, o gabinete do prefeito.





Saio pela Via Cavour e imagino que daquela sacada a vista deve ser formidável.


Aproveito para controlar se o Palazzo Farnese foi invadido. Não, não foi dessa vez. O prédio (palácio, castelo, escolha) jamais foi concluído. O projeto original foi modificado nas diversas vezes em que foi invadido. Dentro, parte da história da cidade jaz numa confusão de estilos arquitetônicos nos diversos museus que a construção abriga.





Antes de terminar o passeio, um detalhe do Palazzo Farnese.







Voltando para casa, à entrada da Piazza Cavalli, encontro uma banda de malucos dançando pelo meio da rua, divulgando o festival de jazz da cidade. Desço da bicicleta e vou atrás, curtindo um jazz de primeiríssima.





.

16 comments:

georgia aegerter said...

Allan, vou ser a primeira!!!! Que legal!!! Amei!!! A-do-rei!!!
Fiquei imaginando você fazendo todo esse turismo por sua cidade de bicicleta e câmara na mao. Fiquei impressionada com a história da prisao. Achei demais a assinatura em forma de lagarto. A
chiesa di Santa Maria di Campagna, local da primeira Cruzada da história. Pena que esse policial tinha logo que aparecer.
Valeu mesmo, nos mostrar a sua cidade linda e tao cheia de histórias.

Um grande abraco Georgia

Cláudia Tostes said...

ah, muito obrigada pela dica!
eu não sabia que havia um site para isso, gostei muito!


A Itália deve ser um país muito bonito, adorei as fotos, especialmente a da "curiosa assinatura do arquiteto"...
abraço.

Meire said...

Allan, legal esta psotagem coletiva, vou reunir alguma coisa aqui da minha pequena Fondi e Terracina tb.
Sobre a banda, eu acho que é a Funk Off http://www.funkoff.net/fo_2006/index.php
Ja tive oportunidade de ir atras dela qdo estive em Fiuggi ha um tempo atras. Veja neste post aqui:
http://pensamentosepoesias.blog.tiscali.it/hv1573079/

denise said...

Hum, viajei contigo! Nossa, que barato!
Ah, e como ficou a história da pirataria?
abraço, garoto

D. Afonso XX, o Chato said...

CAro,

O bolo está guardado. Só não sei se chegará bom por aí, hehehe. Gracias pelas palavras e pela lembrança. abs

Sandra said...

Invejinha básica... sssnnniiiffff...

Muito linda sua cidade!

Beijos

Yvonne said...

A Sandra falou que está sofrendo de invejinha básica. A minha é INVEJONA mesmo. Que linda e maravilhosa cidade. Beijocas

Bion said...

Acompanhei meio que sem querer a historia do pirata do teu post pq vi seu comentario em algum blog...

Que coisa mais sem graça!

Temos que ter cuidado mesmo. Eu detestaria que acontecesse cmg.

Bor sorte aí.

abcs

SACANITAS said...

adorei a assinatura hehehe

e os malucos, nao tao malucos dancando na rua! uhuuuuu

beijoooo
.
.

.

Lucia Malla said...

Allan, q delícia de viagem por essas esquinas tão bonitas! Adorei!
E terminando com jazz então... cereja do bolo!

Beijos.

Rafael Reinehr said...

Pois, é não é que é! Comecei hoje a fazer um estoque destas imagens (do Google Maps). Já tive visitas de cada cantinho do mundo que vou te contar! Fazendo o zoom se descobre cada coisa interessante! Rio Branco, no Acre, por exemplo, tem uma seqüência de ruas muito engraçadas! Recebo visitas até de cemitérios. Essa eu queria entender! Vou colocar estas imagens coletadas do Google Maps das visitas ao meu site com mais freqüência nos próximos dias.

Sobre seu cantinho, acabei de registrar também. Publicarei nos próximos dias. A propósito: tem pouso para uma noite? Hehehe! Ah! Uma série de posts inspirados em você está programada para acontecer a partir de julho. Te aviso com antecedência!

Um abraço.

Dona Minhoca said...

Muito legal o seu passeio de bicicleta. E, nossa!, que crueldade aquela cela - o povo é sádico mesmo, né?

Manoel Carlos said...

Eu havia lido, mas valeu a pena a releitura, você consegue fazer-me sentir fazendo seus passeios, acho até que já fiz um comentário parecido, no qual fiz uma piada sem graça com seu hábito de fumar charuto, num dos passeios.

Alline said...

Allan, tô de mudança pra Milano em agosto. Vou até aí conhecer todas essas esquinas lindas e fazer este passeio bucólico contigo de bicicleta. Posso?
Bjos

Rafael Reinehr said...

Não Allan! Ainda não será desta vez que lhe visito em Piacenza! Somente perguntei sobre o pouso, caso 'algum dia' resolva passar por aí! O que tenho para julho é uma mudança estruturada na minha vida, que vai incluir aqui no site algo que você faz bem e eu tentarei aprender. Tudo por aqui é preparado com carinho e com calma. Te avisarei quando chegar a hora!

Ana Maria said...

Allan, você mora num cenário pronto pra ser filamdo ou fotografado. Uma gracinha a cidade!