Sunday, May 15, 2005

Isabella

Cara Isabella,
Paz e saúde!

Giro, giro tondo… Vi suas fotos na internet. Me apaixonei. Detesto tati-bitati, mas vou perdoar quem fizer guti-guti em você. Queria compor uma música, mas eu não sei cantar. Até estudei canto, mas não tem jeito. Abro os braços e ensaio: laralí lará… Talvez fosse melhor tentar O Sole Mio. Uma alegria embriaga e ofusca outras emoções, como na semana antes do Carnaval. Tesouro finalmente encontrado que todos querem tocar, e que, extasiados, enxergarão como um troféu. Só depois é que irão aprender a gostar de você por você. Prepare-se: o mundo vai te fazer cosquinhas.

Casca il mondo. Construa castelos de cartas e de areia. Deixe que o vento e as ondas os destruam. Tudo pode ser refeito, mas nada será como antes. O mundo é cheio de novidades. As pessoas são cheias de novidades. E de sonhos. Não as desperte. Tenha uma caixa para guardar os seus e não conte para ninguém. Mas lembre-se de abri-la de vez em quando: um dia eles viram realidade. Você vai precisar de uma caixa maior para guardar os sonhos que virão. Não conte para ninguém.

Casca la guerra… Vem brincar de roda e contar estrelas. Vem fazer cosquinha em quem te fizer também; comer pipoca com o cachorro e tomar banho no jardim. A torcida foi grande e todos querem ser seu professor. Mate algumas aulas e aprenda a nadar no riacho. Peixe, unicórnio ou passarinho, você pode ser o que quiser. E quando crescer, será domadora, bailarina ou professora. Se cansar, mude. Tudo vai dar certo.

Tutti giù per terra. Euforia. Talvez seja a palavra para descrever o fim da expectativa (que cresceu mais que o ventre). E uma princesa de verdade não se importa com vassalagens. Ou finge não se importar. Aprenda a andar descalça e deixe que os outros se preocupem, mas cresça devagar. Se cair, chore. O mundo não é um imenso carrossel, mas está cheio de gira-gira, escorregador e balanço. Se o cansaço chegar antes da noite, escolha um colo e durma. Haverá sempre alguém para cuidar de você. Dormir no tapete também pode.

U-ni du-ni-tê. Torneira fechada enquanto se escova os dentes economiza o planeta. Andar a pé faz bem à saúde e não polui. Luz acesa onde não tem ninguém, não espanta bicho e custa como um sorvete (não economize sorvetes). Andar de bicicleta não é perigoso. Livro é melhor que televisão. Livro chato, não. Tocar flauta dá câimbra e incomoda os outros, mas é divertido. Assobiar, também.

Sa-la-mê mi-ngüê. Este é um mundo estranho. Muita gente já passou por aqui, mas ninguém vem para ficar. Talvez por isso muitos o vêem como uma passagem e não como um fim. Não sei de nada, mas se houver algo a saber, espero sabê-lo só muito mais adiante. No fundo, esse mundo me atrai. Isso apesar das guerras e desigualdades sem fim. Prefiro ser um utópico otimista e continuar acreditando que um dia será melhor. Você vai encontrar um bocado de gente estranha, também, mas não se assuste. O truque é entender que todos têm um lado positivo e um negativo. E que um sorriso sincero abre um monte de portas.

Um sor-ve-te co-lo-rê. Quanto a você, pequena pérola, preocupe-se apenas com a sua saúde. Física, mental e emocional; como naquela velha música que orientava a manter a espinha ereta, a mente quieta e o coração tranqüilo. Viva com profundidade, mas sem pressa, pois o tempo passa rápido e tudo o que for preterido não poderá ser recuperado. Respire calma e profundamente. Quando sentir os pulmões cheios, vá em frente.

A es-co-lhi-da foi vo-cê. E lembre-se: eu estou nesse mundo. Também vou te fazer cosquinhas. Laralí lará…

Ciao.

16 comments:

Flavio Prada said...

"O truque é entender que todos têm um lado positivo e um negativo" O teu lado negativo Allan, é que voce escreve textos que eu gostaria de ter escrito. Parabens, mais uma vez. Isso aqui ja virou rotina, mas enfim...

marcelo said...

Concordo com o flavio: este é mais dos textos que eu queria ter escrito. De qualquer forma, vou "salvá-lo" para quando chegar a minha vez de dizer essas coisas para um pequena isabela, seja lá qual nome ela tenha...

abraço

Anonymous said...

UAU!!!!!!!!!!

Angela

Denise Arcoverde said...

Lindo, lindo, lindo...

Como sempre :)

Beijos pra você e as suas Isabellas.

Rafael Galvão said...

Belíssimo, Allan, belíssimo...

Biajoni said...

ISSO é ALEGRIA, vai dizer?
lindo messssss!

Manoel Carlos said...

Parabéns (não sei pra quem) por Isabella, bons conselhos para sobreviver no formigueiro global.
Mais um texto de grande sensibilidade.

Viva said...

De fazer chorar de emoção...

Nora Borges said...

Allan, que texto fabuloso! Como disseram dois amigos teus, também gostaria de ter escrito algo assim.
Vou indicá-lo para um sujeito especial que espera uma Isabella. O nome dele é Afonso.
Beijos.
Ps: Seu blog é um dos meus favoritos com 5 estrelas!

maray said...

feliz da isabela que tem um allan pra fazer bilu-bilu pra ela...

Reginaldo Siqueira said...

E deixa que brinquem as letras, que se unam, e separem, e formem de novo palavras brincalhonas, Isabella, Isabella, ella, Allan.

Roberta Febran said...

Concordo com o Flavio, por diversas vezes li textos seus que eu adoraria ter escrito. E Isabella... Como o próprio nome diz... Bella, davvero. Realmente deve ser alguém muito especial.

Mineiras, Uai! said...

Oi Allan, tô meio sumida, ando muito ocupada... Ao ler seu texto lembrei-me exatamente disso, que além de trabalhar, e batalhar pelos nossos sonhos, não podemos esquecer de viver, curtir o momento! Curta o seu momento, seu texto foi simplesmente maravilhoso, arrepiei toda!
Bjo
Ana Letícia
http://mineirasuai.blogspot.com

Mineiras, Uai! said...

Me esqueci de dizer e pedir (rss) um humilde voto pro casal sensacional nº 03 no concurso de "casal on line" que o Rapper Queiroz lançou no blog dele, http://escritosmalditos.blogspot.com.
Me dê uma forcinha, vai... Papai e vovô já votaram! rrsss
Bjos

Claudio Costa said...

Feliz a Isabella, que um dia poderá escutar, ler, entender e sentir tuas palavras tão calorosas. Amorosas. Não é preciso mais nada prá ser feliz. Parabéns.

Cássio Pereira said...

Caro Allan, obrigado por existir! Li seu texto em voz alta para a Isabella com certa dificuldade pela voz embargada e emoção. Já faz nove anos e não lembrava mais dessa carta. Escrevi para a Isabella e para a Úrsula por mais de dois anos e vou montar um livreto com os textos e fotos, onde incluirei essas suas sábias "instruções". Abraço forte! Cássio